F1

Red Bull rebaixa Gasly para Toro Rosso e promove Albon com efeito imediato

Pierre Gasly está de saída da Red Bull poucos meses após chegar. O francês volta para a Toro Rosso após um primeiro semestre frustrante. Quem ocupa a vaga é Alexander Albon, que ainda faz temporada de estreia na F1

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
A Fórmula 1 está de férias, mas a Red Bull não quer saber de descansar no momento. A equipe austríaca abriu a segunda-feira (12) com uma manobra ousada: Pierre Gasly foi enviado de volta para a Toro Rosso, consequência do começo de temporada decepcionante em Milton Keynes. Como consequência, Alexander Albon é promovido da ‘equipe B’ e vira companheiro de Max Verstappen na sequência do ano.

De acordo com o comunicado, o objetivo da Red Bull é fazer uma análise direta do desempenho dos pilotos. O motivo é a busca por um companheiro para Verstappen em 2020, vaga que segue sem dono. De quebra, a troca de pilotos pode ser o gás que a escuderia de Milton Keynes precisa para buscar a Ferrari no Mundial de Pilotos.
 
"A Red Bull está na posição única de ter quatro pilotos talentosos que podem ser revezados entre Red Bull e Toro Rosso”, explicou o comunicado da Red Bull. “O time vai utilizar as próximas nove corridas para avaliar a performance do Alex [Albon] e fazer uma decisão de quem vai pilotar ao lado do Max [Verstappen] em 2020. Todos no time estão ansiosos em receber o Alex e o ajudar durante sua próxima fase em sua carreira na Fórmula 1”, seguiu.
Max Verstappen e Alexander Albon, agora companheiros de equipe (Foto: Reprodução/Twitter)
Gasly subiu para a Red Bull como substituto de Daniel Ricciardo, que partiu para a Renault. O francês chegou bem cotado, mas a decepção foi imediata: Pierre se mostrou errático e incapaz de sequer chegar perto do nível de performance de Max Verstappen. O #10 soma 63 pontos, muito distante dos 188 do #33.
 
Albon, enquanto isso, deu passos no aprendizado na Fórmula 1. O tailandês é estreante e, apesar de fazer um bom trabalho, soma menos pontos do que o companheiro Daniil Kvyat. A briga interna traz 27 x 16 a favor do russo.

A troca de pilotos lembra outra da mesma Red Bull em 2016. Na ocasião, a equipe promoveu Verstappen e rebaixou Kvyat para a Toro Rosso. A manobra foi um sucesso: o holandês venceu a primeira corrida em Milton Keynes, o GP da Espanha, e se firmou como estrela da Fórmula 1.


Paddockast #28
INTERROGANDO Flavio Gomes: O Boto do Reno


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.