carregando
Stock Car

Opinião GP: Corrida de Duplas se consolida e vira grande evento para abrir temporada da Stock Car

Misturando nomes midiáticos e pilotos com currículo sólido no automobilismo mundial, a Corrida de Duplas se consolidou, ganhou força e repercussão internacional como evento de abertura da Stock Car

Warm Up, de Goiânia / RENAN DO COUTO, de Goiânia
33 CARROS, 66 PILOTOS. 25 títulos da Stock Car na pista, 14 ex-pilotos da F1 e, dentre eles, um campeão. Estrelas de campeonatos de turismo e endurance ao redor do mundo. Prost e Senna companheiros de equipe outra vez. Uma corrida bem disputada no domingo de manhã. Mais uma vez, a Stock Car deu a largada para a temporada com o pé direito.

Quando a Corrida de Duplas nasceu no ano passado, a ideia e os nomes anunciados geraram certo entusiasmo. No entanto, ainda existiam muitas dúvidas a respeito de como o evento seria, qual a movimentação dos pilotos e das equipes em torno dele e até mesmo o impacto que a prova teria para o campeonato.

Um ano mais tarde, a impressão que fica é que as dúvidas foram sanadas. A proposta já foi muito melhor compreendida, e o resultado é um evento mais consolidado e uma ótima maneira de abrir o campeonato.

Mesmo fora de São Paulo, seu principal palco, a Stock Car conseguiu atrair olhares. Jacques Villeneuve, Nicolas Prost, Bruno Senna, Ingo Hoffmann e Chico Serra são todos nomes bem conhecidos pelo público em geral. Ainda vieram convidados conceituados no meio do automobilismo, como Lucas Di Grassi, António Félix da Costa, Vitantonio Liuzzi, Jaime Alguersuari, dentre outros. Soma-se a isso a presença de titulares como Rubens Barrichello, Cacá Bueno, Ricardo Maurício, Max Wilson, Thiago Camilo, Átila Abreu, Ricardo Zonta e por aí vai…
A largada da Corrida de Duplas da Stock Car em Goiânia (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
Prevaleceu o dilema inicial: trazer um convidado com grande poder de marketing ou um que provavelmente garantiria um grande desempenho na pista? Equipes que seguiram pelos dois caminhos se deram bem. Colocar Bruno Senna e Nicolas Prost com as mesmas cores rendeu muito no âmbito do marketing, bem como reunir Villeneuve e Zonta, antigos companheiros no Mundial de F1. Átila provavelmente foi quem mais aliou o útil ao agradável ao trazer Nelsinho Piquet, dono do melhor tempo do treino classificatório no sábado. Na corrida, a dupla sofreu com problemas mecânicos e abandonou.

Enquanto isso, as duas equipes que lutaram pela vitória tiveram pilotos não muito midiáticos, mas que se deram muito bem com o Stock Car. O argentino Néstor Girolami, ao lado de Ricardo Maurício, foi rápido desde o primeiro treino, e Mark Winterbottom, que fez parceria com Marcos Gomes, manteve o bom desempenho do ano passado para chegar em segundo. O retorno foi conquistado mais pelo desempenho do que pelo pano de fundo.

A intenção da Corrida de Duplas é gerar histórias que apresentem a categoria para um público novo, aumentando assim a popularidade. Mas este é um plano que tem como alvo o mercado brasileiro. Em segundo plano, é positiva a imagem passada para o estrangeiro. Os pilotos elogiaram e a imprensa internacional de automobilismo repercutiu o que acontecia em Goiânia.
O pódio da etapa de abertura da Stock em 2015 (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
Ainda, houve F1 que pediu para correr, mas já era tarde demais: Scott Speed.

Isso leva a crer que este evento pode ser ainda maior em 2015, reunindo mais nomes de peso no grid de largada.

Opinião GP é o editorial do GRANDE PRÊMIO que expressa a visão dos jornalistas do site sobre um assunto de destaque, uma corrida específica ou o apanhado do fim de semana de automobilismo.

Siga o GRANDE PRÊMIO      Curta o GRANDE PRÊMIO