Stock Car

De volta à Stock, Senna fala sobre agenda cheia e reconhece: “Nunca é fácil pular de um carro para outro tão rápido”

Bruno Senna mostrou-se satisfeito com a jornada dupla que vem fazendo na McLaren no GT e com a Mahindra na F-E e disse que quer seguir nas duas funções. Mesmo assim, reconheceu que não é fácil trocar tanto de carro em tão pouco tempo, como vai acontecer agora com a Stock Car neste final de semana em Goiânia

Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Bruno Senna vai repetir a dose de 2014 e estará na corrida em duplas da Stock Car em 2015 ao lado de Antonio Pizzonia em Goiânia. Em coletiva da equipe Mico´s nesta quarta-feira (18), o paulista destacou as dificuldades de trocar tanto de carro – já que está no GT, na F-E e agora na Stock – e reconheceu que não é tão fácil conciliar duas categorias ao mesmo tempo.
 
O brasileiro ressaltou a dificuldade de trocar um monoposto da F-E por um carro da Stock em uma semana, mas crê em mais problemas causados pela pista de Goiânia, circuito que jamais guiou.
 
“Nunca é fácil pular de um carro para outro tão rápido. Principalmente por serem carros tão diferentes. Para mim, a maior dificuldade deve ser guiar em Goiânia, uma pista que eu nunca corri, então vou precisar muito do auxílio do meu parceiro. Já conheço a equipe e tenho um bom relacionamento com o pessoal”, disse.
 
Senna contou que testou a pista goiana no simulador, mas avaliou que isto não quer dizer muito, já que o carro da Stock Car lembra pouco o carro utilizado no simulador.
 
“Fiz um pouco de simulador da pista de Goiânia, mas o carro disponível é bem diferente do da Stock, então foi importante para saber para onde vira e coisas assim. Mas não dá para dizer que já vou chegar lá pronto para a corrida, é bem diferente”, explicou.
Bruno Senna vai ser o parceiro de Antonio Pizzonia em Goiânia (Foto: Miguel Costa Jr/MF2)
Hoje como piloto de GT da McLaren e da F-E com a Mahindra, além de comentarista na Sky Sports, Senna acha complicado pensar em disputar outra categoria, mas gosta do fato de ter oportunidades de guiar eventualmente em outros campeonatos, como vai acontecer na primeira etapa da Stock Car.
 
“Obviamente não é fácil ter tempo para outras categorias. Estou na McLaren, na F-E e ainda faço comentários para a televisão inglesa. Segunda-feira estou indo para Malásia. Então eu estou focado nisso que estou fazendo e aproveitando chances como esta que o Pizzonia está me dando de correr na Stock”, declarou.
 
O brasileiro acha possível conciliar as funções, mas reconhece que, de vez em quando, as datas vão acabar batendo.
 
“Infelizmente, a F-E acabou mudando um pouco o calendário e, com a entrada de Moscou, a data acabou batendo com a da McLaren. São coisas que a gente sabe que vão acontecer”, lamentou.
 
Senna está na 13ª colocação na temporada inaugural da F-E. O brasileiro da Mahindra tem como melhor resultado o quinto lugar conquistado na etapa de Buenos Aires.