Stock Car

Camilo diz manter esperança em retomar pontos retirados pela CBA: “Tenho fé que a justiça será feita”

Nesta terça-feira (11), o STJD julga o caso de Thiago Camilo na Stock Car, que foi punido em Goiânia por suposta queima de largada e, desta forma, perdeu pontos importantes na briga pelo título. Mas ele mantém a esperança em retomá-los, alegando principalmente que a demora na tomada de decisão justificaria retirar a penalização

Grande Prêmio / FELIPE NORONHA, de São Paulo
Nesta terça-feira (11), está na pauta do Superior Tribunal de Justiça Desportiva da CBA o caso de Thiago Camilo, que tenta recuperar os pontos que lhe foram retirados após uma punição por suposta queima de largada na corrida 1 de Goiânia, terceira etapa da temporada 2019 da Stock Car.

O caso, que tem pautado a polêmica entre CBA e Vicar, promotora da categoria, pode mudar a classificação do campeonato, já que em caso de recuperação dos pontos (Camilo, na verdade, levou punição de 20s e, de vencedor, caiu para 13°) o piloto da Ipiranga passa a liderar a temporada, ultrapassando Daniel Serra, Rubens Barrichello e Ricardo Maurício.
Thiago Camilo (Foto: Duda Bairros/Stock Car)
Paddockast #21
A primeira vez a gente nunca esquece: as vitórias dos maiores nomes do esporte


Desta forma, o julgamento no STJD é decisivo. E Camilo confia que ele, a Ipiranga e os responsáveis pela defesa tem bons argumentos para que a punição seja retirada.

"Claro que mantenho a esperança. Tenho que manter a esperança. Tenho fé que a justiça vai ser feita", disse o #21 ao GRANDE PRÊMIO em Londrina, no último final de semana, palco de mais uma vitória dele no ano

"Acho que foi um julgamento muito precipitado. Existem várias coisas que nós, eu e advogado, usaremos na defesa da causa. Uma delas é que o resultado da corrida saiu às 17h (do domingo da prova, iniciada às 12h). Se saiu às 17h não foi uma coisa tão clara, tão nítida assim para todo mundo", analisou Camilo.
Thiago Camilo (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Desde então, a Ipiranga conseguiu uma liminar recuperando os pontos, mas a CBA recorreu e recolocou em voga a punição. Agora, a decisão será definitiva. Para Camilo, o tópico principal é que a demora na decisão no dia da corrida indica que não há uma certeza sobre a suposta queima.

"Houve dúvida. Houve dúvida por parte do comissário, houve dúvida por parte da comissão de prova se punia ou não. Eu acho que, juridicamente, eu não sou advogado nem juiz. mas a gente escuta: na dúvida, não se pune. Isso é muito claro. Se um resultado saiu às 17h, é porque alguma coisa que dava uma impressão diferente existu ali", disse.

Ele afirma que não queimou a saída, na qual era pole: "No meu ponto de vista, não. Então eu acredito sim que vou recuperar esses pontos. Acredito que foi uma vitória que conquistamos na pista, com muito trabalho, muito suor, muita dedicação e muita dificuldade. A gente vai brigar por ela até o fim", concluiu. A sessão no STJD tem início às 17h desta terça.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.