carregando
MotoGP

Zarco admite que “estilo natural ainda não se adapta perfeitamente à Ducati”

Depois de guiar Yamaha, KTM e Honda, Johann Zarco vai disputar a temporada 2020 da MotoGP com a Ducati da Avintia. O #5 ressaltou que o fato de não precisar desenvolver a GP19 permite que ele foque apenas em sua pilotagem

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
LEIA TAMBÉM

Johann Zarco reconheceu que seu estilo de pilotagem ainda não se adapta perfeitamente à Ducati. O #5, no entanto, se mostrou confiante, já que não precisa desenvolver a GP19 da Avintia e pode apenas focar em si mesmo.
 
Depois de guiar Yamaha, KTM e Honda, Zarco vai disputar a temporada 2020 com uma Ducati pela equipe espanhola Avintia. A moto da Avintia, porém, não é atual, mas um protótipo do ano passado.
 
Ao longo dos três dias de testes da MotoGP em Sepang, Johann completou 147 voltas, a melhor delas em 1min58s951, e, assim, ficou em 17º, 0s602 atrás de Fabio Quartararo, o líder.
Johann Zarco (Foto: Red Bull Content Pool)
Paddockast #47
FORD vs FERRARI


Ouça:
Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Eu me concentrei em acumular voltas, tratar de entender a moto e me acostumar com o novo estilo que tenho de aprender”, disse Zarco. “Neste momento, meu estilo natural não se adapta perfeitamente à Ducati”, seguiu. 
 
“Por isso, devo levar um tempo, porque dá para notar o potencial, mas certas coisas mudam”, seguiu.
 
O #5 relatou que seu estilo de pilotagem pede um comportamento diferente e afirmou que ainda não sabe explicar exatamente onde está sua dificuldade.
 
“Não é fácil, porque a minha natureza me empurra para fazer outra coisa, mas, quando posso controlá-la, vou muito mais rápido, então é algo positivo”, avaliou. “Me falta alguma coisa em todas as partes, não posso dizer com precisão se é na entrada, na saída, nas curvas, mas se trata de pilotar de uma maneira diferente”, explicou.
 
Por fim, Zarco comparou a situação que tem na Avintia com o trabalho na KTM, onde tinha de desenvolver a RC16. 
 
“É um trabalho diferente. Não tenho que desenvolver a moto e, realmente, posso trabalhar mais em mim mesmo”, indicou. “Por agora, me parece mais simples, porque sinto que tem coisas que devo encontrar para estar mais para frente”, reconheceu.
 
“Temos uma boa velocidade máxima. Isso não se traduz em tempos muito rápidos neste momento, mas acho que será uma vantagem nas corridas”, concluiu.
 


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.