MotoGP

Márquez resiste à pressão inicial de Miller, escapa e dá à Honda 300ª vitória na classe rainha. Dovizioso é 2º

Marc Márquez até suou, mas venceu relativamente fácil o GP da França deste domingo (19). Depois de resistir a uma pressão inicial de Jack Miller, o #93 disparou na frente para conquistar a vitória 300 da Honda na categoria rainha do Mundial de Motovelocidade. Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci completaram o pódio

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo

Marc Márquez conseguiu mais uma marca histórica com a Honda. Neste domingo (19), o #93 teve mais uma de suas sólidas atuações e deu à marca da asa dourada sua 300ª vitória na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.
 
Feliz proprietário da pole-position, Márquez teve de dividir as primeiras freadas com Danilo Petrucci, mas, na depois da segunda curva, consolidou sua liderança, ainda que sem escapar de forma definitiva. Na quinta volta, Jack Miller tomou a ponta, mas não conseguiu fazer frente ao espanhol, ainda que tenha impondo alguma dificuldade.
 
Uma vez livre do australiano, Márquez disparou na ponta e tratou de construir uma vantagem irremediável na ponta até receber a bandeirada com 1s984 de folga. Enquanto isso, Miller se tornou presa fácil das Ducati, com Andrea Dovizioso aparecendo primeiro para tomar a segunda posição.
Marc Márquez venceu fácil em Le Mans (Foto: Repsol Honda)
Petrucci, por sua vez, teve um caminho mais árduo, mas, depois de passar Valentino Rossi, tratou de superar Miller para se colocar no pódio. O #9 até pressionou Andrea pela segunda colocação e conseguiu passar com três voltas para o fim, mas levou o troco imediatamente.
 
Miller, então, teve de se conformar com a quarta colocação, à frente de Rossi. Depois de exibir um ritmo ruim com pista seca na sexta-feira, o #46 parece ter encontrado alguma coisinha no acerto da M1 para ser mais competitivo, mas, mesmo como melhor Yamaha, não pôde fazer muito mais.
 
O destaque, no entanto, fica para a boa corrida de Pol Espargaró. 12º no grid depois de sequer marcar tempo na classificação, o #44 fez uma ótima largada e passou boa parte dos 27 giros em Le Mans na sexta colocação, à frente de Franco Morbidelli.

Correndo em casa, Fabio Quartararo não brilhou tanto quanto em Jerez, mas fez uma corrida sólida, batendo Cal Crutchlow já nas voltas finais para assegurar o oitavo posto. Álex Rins também fez mais uma de suas corridas de recuperação, mas acabou apenas em décimo, 13s709 atrás de Márquez.
 
Depois de um início de fim de semana mais positivo, Jorge Lorenzo ‘sumiu’ na corrida e ficou apenas em 11º, mas de 15s atrás do companheiro de Honda. Melhor Aprilia, Aleix Espargaró aparece na sequência, à frente de Johann Zarco, Hafizh Syahrin e Miguel Oliveira.
 
Joan Mir recebeu a bandeirada em 16º depois de cair ainda na volta de aquecimento e ter de correr para os boxes para pegar a moto reserva.

Com o resultado deste domingo, Márquez chegou aos 95 pontos e abriu oito de frente para Dovizioso na liderança do Mundial. Rins caiu para o terceiro posto, à frente de Rossi e Petrucci.
 
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #18: Fake News! As mentirinhas nada inocentes do esporte a motor



  Ouça no Spotify
  Ouça no iTunes
  Ouça no Android
  Ouça no playerFM

Saiba como foi o GP da França de MotoGP:
 
Em um dia onde a chance de chuva está na casa dos 80%, não foi surpresa ver o dia amanhecer frio e completamente nublado. Pouco antes da largada da MotoGP, a temperatura estava em 15°C, com o asfalto chegando a 17°C. A velocidade do vento era de 3 km/h. Mas a pista seguia seca, como foi o caso com Moto3 e Moto2.
 
Pela 55ª vez na classe rainha, Marc Márquez tinha a pole-positionigualando a marca de Valentino Rossi ―, à frente de Danilo Petrucci e Jack Miller. Andrea Dovizioso vinha para abrir a segunda fila, à frente de Valentino Rossi e Franco Morbidelli.
 
Takaaki Nakagami, que caiu pela primeira vez no ano no Q2 em Le Mans, vinha em sétimo, seguido por Jorge Lorenzo, que tinha seu melhor posto de partida desde a mudança para a Honda. Aleix Espargaró completa a terceira fila.
 
Maverick Viñales, que se destacou ao longo dos treinos, falhou na classificação e ficou apenas em 11º, atrás de Fabio Quartararo. 
 
Neste fim de semana, a Michelin levou para Le Mans os pneus macios, médios e duros, com os calçados de chuva aparecendo nas versões macias e médias. Em ambas as variações, o calçado traseiro tem configuração assimétrica, já que o circuito Bugatti tem um desequilíbrio em curvas para a esquerda ― 5 ― e para a direita ― 9. 

Para a corrida deste domingo, a maioria do pelotão escolheu um par de pneus macios, uma escolha nada surpreendente levando em conta a temperatura. Uma prova: Joan Mir e Karel Abraham caíram em incidentes separados ainda na volta de aquecimento.
 
Na hora da largada, Petrucci saiu muito bem, mas foi com Márquez grudado até a curva 2, onde dividiram a freada. Marc levou a melhor e manteve a ponta, com Miller, Morbidelli e Rossi vindo na sequência. Dovizioso caiu para sétimo.
 
Ainda na primeira volta, Rossi passou Morbidelli e voltou ao quarto posto. Mir, depois do inesperado tombo, pegou a moto reserva e voltou para a pista.
 
Na sequência, Pol Espargaró passou Morbidelli para levar a KTM ao quinto posto. Na segunda volta, Petrucci tomou a ponta de Márquez, mas o troco veio na sequência.
 
Pol, então, foi para cima de Rossi, mas não durou muito na quarta colocação. Mais atrás, Dovizioso passou Franco e assumiu o sexto posto. Lorenzo, aliás, também conseguiu superar o #21.
 
No terceiro dos 27 giros, Miller conseguiu passar Petrucci pelo segundo posto. Na sequência, Rossi e Dovizioso também aproveitaram uma erradinha do #9 na curva 8, que caiu para a quinta colocação.
 
Com Miller incumbido da missão de caçar Márquez, a vantagem do #93 começou a cair. Na quarta volta, o respiro do piloto da Honda era de apenas 0s3. Mais atrás, Dovizioso pressionava Rossi, que só conseguiu segurar até a reta oposta, onde a Ducati jantou a Yamaha com gosto.
 
No quinto giro, Miller grudou em Márquez e tomou a ponta do GP da França com uma bela ultrapassagem. Uma vez na frente, o piloto da Pramac de cara abriu 0s4 de frente.
 
Marc não deixou barato e tratou de colar no australiano, enquanto Dovizioso vinha empenhado em juntar nos ponteiros, trazendo Rossi junto. Pol Espargaró vinha em quinto, à frente de Petrucci e Lorenzo. 
 
Num confronto de dois ‘valentões’, Márquez conseguiu recuperar a ponta, mesmo com Miller fazendo uma boa defesa da liderança. Nessa, o pelotão chegou para entrar de vez na brincadeira.
 
Mais atrás, Crutchlow vinha escalando e agora aparecia em oitavo, à frente de Lorenzo e Nakagami.
 
Na oitava volta da corrida, Francesco Bagnaia caiu na curva 12 e levou junto Maverick Viñales. Não era mesmo o fim ideal de um fim de semana que parecia bom para o #12.
Acidente entre Viñales e Bagnaia (Foto: Reprodução)
Pouco depois, Andrea Iannone, que voltava às pistas depois de ser barrado no GP da Espanha, recolheu aos boxes e abandonou a corrida.
 
Aliás, Abraham recebeu bandeira preta em Le Mans por ter deixado o pit-lane depois de o líder da corrida ter cruzado a linha de chegada. O tcheco ficou bem bravo com a desclassificação.
 
Na décima volta da corrida, Márquez tinha conseguido escapar 0s480 de Miller, com Dovizioso vindo 0s3 atrás. Rossi já tinha um atraso mais considerável para o #4 e vinha com Petrucci coladinho atrás.
 
Vice-líder do Mundial, Rins ficou com uma péssima posição de largada, mas vinha escalando o pelotão. Com 16 corridas para o fim, o #42 aparecia em 11º, 9s676 atrás do ponteiro.

Na volta 13, Petrucci, enfim, conseguiu passar Rossi na curva 3 e assumiu o quarto posto. Neste ponto, o #9 já tinha 1s9 de atraso para Dovizioso.
 
Depois da resistência inicial, Miller não parecia ter mais o que oferecer no combate. Na metade da corrida, o #93 já tinha 1s3 de frente na liderança. Dovizioso, porém, vinha juntinho do piloto da Pramac.
 
Com 11 voltas para o fim, Dovizioso aproveitou uma titubeada e passou Miller para tomar o segundo posto. Líder, Márquez já tinha 2s6 de frente.
 
Enquanto as coisas na frente vinham bem definidas, mais atrás Quartararo escalava o pelotão. Depois de remar para descontar a diferença, o francês passou Lorenzo pelo nono posto e logo se afastou. 
 
Na volta seguinte, Petrucci passou Miller e assumiu o terceiro posto, 0s271 atrás de Dovizioso, o segundo. 

Danilo ainda tentou pressionar o companheiro de Ducati, mas não conseguiu passar. Rossi também tentou colar em Miller, mas acabou mesmo em quinto.

MotoGP 2019, GP da França, Le Mans, Final:

1 M MÁRQUEZ Honda 41:53.647 27 voltas
2 A DOVIZIOSO Ducati +1.984  
3 D PETRUCCI Ducati +2.142  
4 J MILLER Pramac Ducati +2.940  
5 V ROSSI Yamaha +3.053  
6 P ESPARGARÓ KTM +5.935  
7 F MORBIDELLI SIC Yamaha +7.187  
8 F QUARTARARO SIC Yamaha +8.439  
9 C CRUTCHLOW LCR Honda +9.853  
10 A RINS Suzuki +13.709  
11 J LORENZO Honda +15.003  
12 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +29.512 P +1.4s
13 J ZARCO KTM +33.061  
14 H SYAHRIN Tech3 KTM +35.481  
15 M OLIVEIRA Tech3 KTM +36.044 P +1.5s
16 J MIR Suzuki +1 volta  
17 T NAKAGAMI LCR Honda NC  
18 A IANNONE Aprilia Gresini NC  
19 M VIÑALES Yamaha NC  
20 F BAGNAIA Pramac Ducati NC  
21 T RABAT Avintia Ducati NC  
22 K ABRAHAM Avintia Ducati EX  
 



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.