carregando
MotoGP

Em lágrimas, Lorenzo aponta queda em Assen como motivo de retirada

Jorge Lorenzo começou a pensar seriamente em aposentadoria após se lesionar gravemente no GP da Holanda, em Assen. O espanhol, que deixa as pistas ao fim da temporada, recorda se perguntar se “merecia mesmo isso tudo”

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Berlim
Jorge Lorenzo teve um 2019 em que tudo deu errado. A transferência para a Honda não trouxe os resultados previstos, assim como as novas quedas começaram a comprometer a saúde do espanhol. O resultado foi uma coletiva nesta quinta-feira (14) anunciando aposentadoria da MotoGP, consequência de uma longa reflexão que começou após a queda e as lesões em Assen na Holanda.
 
“Desde o início eu vi que não era capaz de estar nas condições fisicais normais para ser rápido e competitivo”, disse Lorenzo, visivelmente emocionado. “A moto nunca se tornou algo natural e foi difícil, mas não perdi a paciência nunca. Quando comecei a vislumbrar alguma luz, tive aquela queda feia em Montmeló e, duas semanas depois, em Assen outra vez com todas as consequências que já sabemos. Quando estava na brita, levantei e pensei: ‘Jorge, você merece mesmo isso depois de tudo que alcançou’”, contou.
 
A queda em Assen tirou Lorenzo de quatro etapas da MotoGP. Nas sete etapas subsequentes, o espanhol pontuou em apenas três, tendo 14º como melhor resultado.
Lorenzo chamou coletiva para anunciar sua aposentadoria da MotoGP (Foto: AFP)
A saída melancólica e precoce – Lorenzo ainda tem 32 anos – era algo imprevisível até 2016. O espanhol ainda pilotava pela Yamaha e brigava por títulos ano após ano. A passagem pela Ducati, seguida pela Honda, nunca trouxeram resultados do mesmo nível – só que isso não basta para se arrepender das mudanças.
 
“Ser tão perfeccionista exige muita motivação e por isso, depois dos nove melhores anos da minha carreira ao lado da Yamaha, senti que precisava de uma mudança para seguir comprometido assim. Decidi ir para a Ducati e isso me deu um grande impulso, mesmo que os resultados não tenham chegado de imediato. Não me rendi até conseguir aquela vitória maravilhosa em Mugello frente a todos os Tifosi”, encerrou.