MotoGP

Dovizioso bate Márquez na última curva e mantém Ducati invicta na Áustria

Andrea Dovizioso bateu Marc Márquez nos metros finais de uma corrida tensa e manteve a invencibilidade da Ducati no Red Bull Ring. Fabio Quartararo completou o pódio

Grande Prêmio / JULIANA TESSER, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
Não foi desta vez que Marc Márquez conquistou a Áustria. Em uma corrida tensa, Andrea Dovizioso usou a última curva do Red Bull Ring para encerrar a sequência de vitórias do #93 neste domingo (11) e manter a invencibilidade da Ducati no traçado.
 
Quando as luzes se apagaram no Red Bull Ring, os 85.285 espectadores viram Márquez se defender de um ataque de Dovizioso, mas logo perder a ponta para o piloto da Ducati na curva 2.
 
Márquez, então, foi ao ataque, mas bloqueou o caminho de Andrea e os dois acabaram por perder terreno, entregando a ponta para Fabio Quartararo. O italiano reagiu de imediato e se instalou em segundo, com #93 em quarto, atrás de Jack Miller. 
A ultrapassagem de Dovizioso em Márquez (Foto: Reprodução)
Na abertura da sexta volta, Dovi tomou a ponta de Fabio, com Márquez aproveitando a reta para engolir o francês, que respondeu na freada para retomar brevemente a liderança.
 
No nono giro, as coisas esquentaram na ponta, com Márquez e Dovizioso brigando pela ponta. Depois de algumas manobras mais firmes, Marc ficou com a liderança, mas sem afastar o rival da Ducati. 
 
Com 12 voltas para o fim, Márquez e Dovizioso vinham colados, mas sem nenhum ataque pode parte do italiano. Na 20ª volta, Andrea, enfim, atacou na reta e tomou a ponta, com o #93 mantendo o contato.
 
Restando quatro voltas para o fim, Márquez grudou em Dovizioso, mas sem lançar um ataque mais efetivo.  Metros depois, o #93 partiu para cima na curva 7 e recuperou a ponta, mas Andrea passou na 9, apenas para escapar da trajetória e permitir que o espanhol seguisse na ponta.
 
Na abertura da volta final, Andrea conseguiu passar, mas levou o troco pouco depois. O italiano seguiu pressionando e, na última curva, passou Marc com uma linda manobra para receber a bandeirada com 0s213 de margem.
 
Quartararo fez uma corrida sólida e, isolado ainda cedo, recebeu a bandeirada com 5s9 de atraso para a Honda do espanhol. Foi o primeiro pódio da M1 na Áustria desde 2016.
 
Décimo no grid, Valentino Rossi começou a corrida agressivo e se instalou cedo na quarta posição. Perseguido por Maverick Viñales por praticamente toda a extensão do GP, o #46 ficou com o quarto posto, com Álex Rins recebendo a bandeirada em sexto. 
 
Francesco Bagnaia fez uma boa corrida e terminou em sétimo, 0s185 à frente de Miguel Oliveira, o melhor representante da KTM. Danilo Petrucci foi o nono, com Franco Morbidelli completando um top-10 coberto por 20s510.
 
Paddockast #28
INTERROGANDO Flavio Gomes: O Boto do Reno


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Saiba como foi o GP da Áustria de MotoGP:
 
A chuva ainda não desistiu da MotoGP. Depois de tumultuar o início do GP em Brno na semana passada, a chuva voltou a dar as caras, desta vez depois de uma boa virada no tempo. Quando a classe rainha foi para a pista, os termômetros marcavam 23°C, com o asfalto chegando a 32°C. 
 
Pela terceira vez seguida no Red Bull Ring, Marc Márquez tinha a pole-position, a 59ª da carreira do #93 na divisão principal do Mundial. Fabio Quartararo vinha em segundo, à frente de Andrea Dovizioso, que estava longe da primeira fila desde a Argentina.
 
Maverick Viñales abria a segunda fila, à frente de Takaaki Nakagami e Álex Rins. Jack Miller vem na sequência, seguido por Cal Crutchlow e Valentino Rossi.
 
Neste fim de semana, os pilotos podiam escolher entre os pneus slicks macios, médios e duros, com os calçados traseiros em versão assimétrica, e os pneus de chuva macios e médios, com os traseiros também assimétricos.
 
Largada autorizada em Spielberg, com Márquez conseguindo manter a primeira colocação. Dovizioso seguiu bastante próximo do espanhol, ficando lado a lado com o #93, com os dois quase se tocando e caindo algumas posições.
 
Quem levou a melhor foi Quartararo, que saiu para a primeira colocação, com Miller no segundo posto e Rins em terceiro. Andrea conseguiu ficar com o quarto posto, enquanto Marc se sustentava em quinto.
jutesser 9:07 AM Mas Dovizioso conseguiu escalar o pelotão e era o segundo atrás de Quartararo. Miller, Márquez e Rins completavam o rol dos cinco primeiros da prova.
 
Enquanto isso, mais para trás, Pol Espargaró e Cal Crutchlow acabaram se envolvendo em um incidente. Na curva 3, os dois acabaram deixando a corrida de forma precoce, com o inglês indo ao chão e o #44 danificando a moto.
 
Com 25 giros para a bandeira quadriculada, a ordem na pista era Quartararo, com Dovizioso, Márquez, Miller, Rossi, Rins, Viñales, Bagnaia, Nakagami e Morbidelli completando os dez primeiros.
 
O piloto da SIC tentava se distanciar do restante do pelotão, conseguindo, aos poucos, abrir uma vantagem para o titular da Ducati. Enquanto isso, Márquez tinha que segurar a pressão do australiano da Pramac.
 
Então, em um grande lance, Dovizioso conseguiu superar Quartararo para se tornar o novo líder da corrida. Nisso, o pentacampeão tentou superar o francês, que soube segurar bem o #93, mas acabou caindo para terceiro.
O trio da ponta estava bastante próximo, com Márquez começando a se aproximar de forma ameaçadora do italiano ponteiro. Se aproximando aos poucos surgia Miller, que era o quarto, e um pouco mais atrás vinha Rossi, o quinto.

Nos comparativos de velocidade, a Honda de Márquez chegou a atingir 313 km/h, a maior entre todas as motos. Nem mesmo a Ducati conseguia fazer frente a fábrica japonesa.
 
Então, em um grande golpe de má sorte, Miller acabou se envolvendo em um acidente na curva 9. O australiano acabou passando reto na curva e foi ao chão, abandonando a corrida e jogando a quarta colocação no colo de Rossi.
Enquanto isso, a dupla da ponta protagonizava um embate bastante quente pela primeira colocação. Márquez deu o bote em cima de Dovizioso, que fechou a porta para o espanhol. Os dois chegaram a ficar lado a lado quase tocando as motos, mas o #93 acabou levando a melhor.
Enquanto o #4 da Ducati tirava aos poucos sua desvantagem para o #93 da Honda, conseguia ainda aumentar sua distância para Quartararo, já apresentando respiro de 0s962.

Restavam 17 voltas para a bandeira quadriculada e a ordem na pista era Márquez, Dovizioso, Quartararo, Rossi, Viñales, Rins, Bagnaia, Nakagami, Oliveira e Petrucci completando os dez primeiros.
 
Os dois primeiros colocados tinham estratégias diferentes de pneus. Enquanto Marc optou por médio dianteiro e traseiro, Andrea escolheu médio dianteiro e macio traseiro.
 
Márquez bem que tentava de afastar de Dovizioso, mas o italiano seguia colado no espanhol, mantendo a média de distância entre 0s1 e 0s2, mas sem conseguir fazer a aproximação definitiva para atacar.
A caçada seguida a todo vapor no Red Bull Ring. Entretanto, o líder da classificação conseguia se distanciar de Andrea, com um respiro de 0s246 entre os dois. Enquanto isso, Quartararo estava mais de 3s atrás.
 
Até que, com nove voltas para a bandeira quadriculada, o italiano da Ducati conseguiu escolher o ponto certo para dar o bote em cima do espanhol da Honda para reassumir a primeira colocação.
Mais para trás, enquanto Rossi tentava se aproximar de Quartararo, ainda tinha que aguentar a pressão crescente de seu companheiro Viñales, o quinto, e Rins, o sexto.
A corrida entrava na reta final, e Dovizioso seguia liderando, com Márquez em segundo. Quartararo era o terceiro, com Rossi, Viñales, Rins, Bagnaia, Oliveira, Petrucci e Morbidelli completando o top-10.
 
A diferença entre o primeiro e o segundo colocados era mínima, de apenas 0s161. Márquez tentava de todos os modos se aproximar de Dovizioso, que conseguia segurar os avanços do adversário.
 
Com três giros para a bandeira quadriculada, então, Márquez conseguiu consumar a ultrapassagem. Mas na curva seguinte, Dovizioso deu o troco no espanhol tomando a ponta novamente.
 
Mas Marc não estava satisfeito, conseguindo novamente fazer a ultrapassagem. E a briga estava bastante animada, pois Andrea tomou a primeira colocação de novo na reta, mas o #93 acabou levando a melhor na final, ficando com a primeira colocação e conseguindo uma diferença mínima na ponta.
 
Os dois pilotos ficaram novamente lado a lado, com o #4 conseguindo, brevemente, ficar em primeiro, mas então viu o #93 de volta para a primeira colocação. Era a última volta da corrida.
 
Na última curva, então, Dovizioso conseguiu dar o bote definitivo em cima de Márquez, passando o espanhol nos últimos metros e garantindo assim a segunda vitória da temporada. Quartararo foi quem completou o pódio do dia.
 
MotoGP 2019, GP da Áustria, Red Bull Ring, Final:

1 A DOVIZIOSO Ducati 39:34.771 20 voltas
2 M MÁRQUEZ Honda +0.213  
3 F QUARTARARO SIC Yamaha +6.117  
4 V ROSSI Yamaha +7.719  
5 M VIÑALES Yamaha +8.674  
6 A RINS Suzuki +8.695  
7 F BAGNAIA Pramac Ducati +16.021  
8 M OLIVEIRA Tech3 KTM +16.206  
9 D PETRUCCI Ducati +17.350  
10 F MORBIDELLI SIC Yamaha +20.510  
11 T NAKAGAMI LCR Honda +22.273  
12 J ZARCO KTM +25.503  
13 S BRADL Honda +31.962  
14 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +34.741  
15 K ABRAHAM Avintia Ducati +48.109  
16 A IANNONE Aprilia Gresini +1 volta  
  T RABAT Avintia Ducati NC  
  J MILLER Pramac Ducati NC  
  H SYAHRIN Tech3 KTM NC  
  P ESPARGARÓ KTM NC  
  C CRUTCHLOW LCR Honda NC  
         
VMR A DOVIZIOSO Ducati 1:23.827 185.4 km/h
REC A DOVIZIOSO Ducati 1:24.277 184.4  km/h
MV M MÁRQUEZ Honda 1:23.027 187.2 km/h
         
  Condições do tempo PISTA SECA   ar: 23ºC | pista:32ºC



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.