carregando
MotoGP

De rival a técnico: Rossi celebra parceria com Lorenzo nos testes em Sepang

Valentino Rossi contou com a ajuda de Jorge Lorenzo no segundo dia de testes da MotoGP na Malásia. O #46 destacou a motivação do #99 e até brincou que parar de correr melhora a personalidade

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
LEIA TAMBÉM
Foi-se o tempo em que Valentino Rossi e Jorge Lorenzo eram inimigos. Unidos na Yamaha pela terceira vez na carreira, os ex-rivais viveram uma situação diferente neste sábado (8), com o espanhol atuando como técnico do #46 no segundo dia de testes da MotoGP na Malásia.
 
Aposentado desde o fim da temporada passada, Lorenzo foi contratado pela Yamaha para atuar como piloto de testes e, por isso, está em Sepang acompanhando as atividades da primeira bateria de testes da pré-temporada. O tricampeão, aliás, vai assumir a YZR-M1 no domingo.
 
Falando à imprensa após o teste, Rossi destacou que está trabalhando bastante e até brincou com a melhora na personalidade do espanhol.
Valentino Rossi e Jorge Lorenzo (Foto: Reprodução)
Paddockast #47
FORD vs FERRARI


Ouça:
Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Nós trabalhamos e falamos muito com Jorge ao longo destes dias”, disse Rossi. “Lorenzo está muito bem. Acho que parar de correr melhora a personalidade. Vamos ver se acontece comigo também”, brincou. 
 
O italiano contou que gosta de conversar com o ex-companheiro, mas admitiu que é estanho ver Lorenzo com roupas de passeio enquanto ele próprio ainda está de macacão. 
 
“Gosto de conversar com Lorenzo, pois seus comentários são sempre interessantes. Isso era algo que eu já sabia, mas tê-lo aqui conosco é importante”, comentou. “Hoje ele foi meu técnico, meu deu alguns conselhos, mas é estranho virar e ver Lorenzo vestido como civil e eu com o macacão. Mas é genial e eu o vejo muito envolvido”, contou.
 
Embora Valentino seja o último remanescente dos chamados ‘aliens’ ainda na ativa, o italiano contou com a companhia de Dani Pedrosa na pista neste sábado. E a atuação do #26 o fez sugerir uma volta às pistas. 
 
“Vi Dani pilotando esta manhã e ele era muito rápido, embora também pareça que a KTM melhorou. Ele poderia voltar a correr, afinal, é mais jovem do que eu. De fato, tanto ele quanto Lorenzo poderiam voltar”, sugeriu. “É bom ver que eles também fazem isso pelo simples prazer de pilotar. Jorge vinha de anos difíceis, mas subiu na Yamaha e rejuvenesceu. Dani não gostava dos compromissos e da pressão das corridas do campeonato, mas os dois gostam de pilotar. Os dois são mais jovens que eu, poderiam voltar”, insistiu.
 
Dono do décimo tempo neste sábado, Rossi ficou a 0s544 de Fabio Quartararo, o líder, e acredita que a Yamaha ainda precisa melhorar em termos de velocidade máxima. 
 
“Temos de trabalhar na velocidade máxima. Temos um bom ritmo com o pneu usado. Com os pneus usados, nós melhoramos muito. Em termos de velocidade máxima, nós melhoramos, mas os demais também”, encerrou.


 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.