MotoGP

Crutchlow crê que eventual ida de Lorenzo para Pramac “não me afeta de jeito nenhum”

Cal crutchlow não mostrou muito interesse nos recentes rumores da saída de Jorge Lorenzo da Honda e ida para a Pramac. O inglês indicou que o espanhol crê não poder vencer com a marca japonesa, mas deixou claro que a mudança do tricampeão em nada afeta sua situação no time

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Cal Crutchlow também comentou sobre todos os boatos do retorno de Jorge Lorenzo para a Ducati com as cores da Pramac. O inglês, que pilota na equipe B da Honda, afirmou que não se vê de nenhuma maneira afetado sobre os rumores.
 
Durante a semana, começaram a pipocar notícias de que o espanhol estaria ensaiando um retorno para a marca de Borgo Panigale. Com isso, encerraria de forma prematura seu relacionamento com a esquadra da asa dourada.
 
Sobre as informações, Jack Miller, hoje na Pramac, revelou que tudo pode ter um fundo de verdade. Mesmo entregando bons resultados na temporada 2019, o australiano ainda não conseguiu a renovação de seu contrato.
 
E o #35, que poderia ser promovido para o time de fábrica da marca japonesa, já descartou qualquer envolvimento com os rumores. “Não estou mesmo surpreso. Lorenzo quer vencer e não acho que ele pensa que pode vencer com a Honda no momento, então talvez o rumor seja verdadeiro de sair”, falou.
Cal Crutchlow (Foto: Divulgação/MotoGP)
“Mas talvez a Ducati esteja usando em seu benefício com Jack, assim como fizeram com Danilo [Petrucci] talvez. Talvez é o que esteja acontecendo, não sei. Mas no final do dia, no momento não me afeta, não acho que vai me afetar de qualquer maneira”, seguiu.
 
O inglês também comentou se mudar para a Honda seria algo de seu interesse. “Como disse, tenho um contrato de 12 anos com a Monster Energy, e tenho um contrato de fábrica, meu contrato é tão bom quanto pilotar para a equipe de fábrica, te garanto. Mas com isso dito, eu piloto para a Honda”, pontuou.
 
“E também tenho muito respeito por suas decisões, e se há algo que precisa ser discutido, vai ser discutido. No momento, tenho um contrato de fábrica, mas piloto para Lucio [Cecchinello], e respeito ele e sua equipe. Ele tem me feito muito orgulhoso nos últimos seis anos. E isso é tudo o que tenho a dizer”, continuou. 
 
“Não faz a menos diferença para mim sobre o que está acontecendo. Me sinto mal por Jack, pois está pilotando absolutamente fantástico no momento. No final do dia, esse é o problema com esse jogo, você pode estar no pódio em uma semana e sem trabalho na outra”, emendou.
 
“É apenas a maneira que as coisas podem acontecer. É onde tive muita sorte na minha carreira em conseguir pódios, etc, e consegui-los nos momentos certos, quando você precisa consegui-los. E é essa a verdade”, completou.
 
Crutchlow seguiu batendo na tecla de não se envolver na situação, ressaltando sua confortável situação atualmente. “Como disse, preciso conversar com eles, mas, no momento, não conversei com eles sobre nada além de ir mais rápido com a moto que estou agora, melhorando para o ano que vem”, destacou.
 
“Mas há um grande conflito nos meus interesses. Tenho uma ótima equipe. Meu acordo é um contrato de fábrica, provavelmente melhor que a maioria das fábricas do grid, e piloto para Lucio, adoro isso, amo minha equipe me minha garagem. No final, sempre se pensa que a grama é mais verde, mas eu gostaria de apenas colocar um macacão laranja? Não sei. Precisa me perguntar se houver a proposta”, sublinhou.
 
Por fim, caso a Ducati consiga o retorno de Lorenzo, Cal afirmou que a Honda “deveria ir e assinar com Jack. Ele apenas quer um contrato de um ano de qualquer maneira, para colocar todos de volta na linha. Vá e assine com Jack, ele vai dar seu máximo”.
 
Quem também chegou a falar sobre o caso do espanhol foi Valentino Rossi. Ex-companheiro do espanhol, o italiano indicou que tudo pode não passar apenas de boatos, mas reconheceu que seria interessante ver o que o tricampeão faria no time.
 

Paddockast #28
INTERROGANDO Flavio Gomes: O Boto do Reno


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.