MotoGP
10/08/2018 12:34

Chuva limita ações, mas domínio do TL1 aponta para Ducati favorita a enfileirar terceira vitória na Áustria

A chuva foi uma das protagonistas desta sexta-feira (10), na Áustria. Apesar de ter barrado muito do desempenho dos pilotos, já foi possível começar a desenhar os favoritos do final de semana, com a Ducati aparecendo como a força a ser batida no Red Bull Ring
Warm Up / NATHÁLIA DE VIVO, de São Paulo
 Jorge Lorenzo (Foto: Michelin)
A MotoGP chegou com condições mistas na Áustria. Nesta sexta-feira (10), nos dois primeiros treinos livres do final de semana, a classe rainha do Mundial de Motovelocidade treinou com pista seca na parte da manhã e com traçado molhado na parte da tarde. A chuva foi tanta em Spielberg que o segundo ensaio chegou a ser atrasado por motivos de segurança.
 
Apesar da água ter barrado muito da ação dos competidores no Red Bull Ring, já foi possível observar quais as forças do final de semana. A despeito de Marc Márquez ter feito uma volta voadora durante o segundo ensaio – onde anotou a marca de 1min33s995 para se colocar na ponta da tabela, quem mostrou a força de equipe a ser batida foi claramente a Ducati.
 
Andrea Dovizioso foi quem se colocou como o mais veloz do dia com os tempos dos treinos combinados – 1min23s830. O italiano ainda foi seguido por seu companheiro Jorge Lorenzo, que anotou um tempo 0s215 inferior ao do #4. Ainda, quem encerrou o top-3 da abertura das atividades foi Danilo Petrucci, também empurrado por uma moto da marca de Borgo Panigale.
 
O time italiano ainda chegou à Áustria motivado pelo seu bom histórico, afinal, é quem sustenta as vitórias desde que a prova voltou ao calendário da MotoGP. Ainda, Andrea chega embalado pelo triunfo conquistado na última semana, ao segurar os adversários na Tchéquia e subir ao degrau mais alto do pódio, trazendo consigo Jorge e fazendo uma comemorada dobradinha – que parece ter dado uma trégua na inimizade já conhecida dos colegas do 'tretudo' box.
Andrea Dovizioso (Foto: Michelin)
Dovizioso não escondeu a satisfação em começar o final de semana com o pé direito. O competidor de Forlimpopoli aproveitou para dizer que a moto apresenta bom desempenho tanto no seco quanto no molhado. “Tudo correu muito bem, a Ducati tem muita aderência e também funciona muito bem no molhado”, explicou.
 
“Tenho um bom feeling, mas foi difícil acelerar mais, pois no final do treino havia muita aquaplanagem. A corrida deve acontecer no seco, onde estamos à vontade. Depois de uma vitória você consegue escolher o ajuste vencedor, então isso te ajuda a começar com o pé direito [a etaá seguinte]”, continuou. 
 
Quem também ressaltou a boa performance da Ducati foi Danilo Petrucci. “Minha moto está muito boa e trabalha bem em ambas as condições, estou confiante. Temos que trabalhar nos detalhes para resolver os últimos problemas. Mas Márquez vai muito forte para a corrida e pode ser um grande problema”, disse.
Marc Márquez (Foto: Michelin)
E apresar do time italiano começar o fim de semana como o mais forte do grid, a preocupação do #9 tem fundamento. Cravando o quinto tempo do primeiro treino, Márquez foi o único piloto que deu 18 giros com o mesmo composto de pneus, médios tanto traseiro quanto dianteiro. Isso mostra que o piloto, que nunca venceu na Áustria e vem de um terceiro lugar na Tchéquia, tem treinado o ritmo de corrida.

Entretanto, o piloto de Cerverá reconheceu a velocidade dos adversários da equipe italiana, mas acha que está próximo. “As Ducati estão muito rápidas, mas não acredito que estamos lentos. Penso que Dovizioso é o que tem um pouco mais. No molhado, as Ducati não podem usar todo seu potencial e por isso sofrem um pouco mais”, disse.
Maverick Viñales (Foto: Michelin)
“Há três Ducati à frente, mas não nos rendemos. Na aceleração, as Ducati marcam a diferença. Em velocidade pura, nos tiram entre 3 e 5 km/h. Há o que melhorar para nos colocarmos no nível de Dovizioso, que vai um pouco mais rápido. A diferença se nota quando engrenam a quarta, quinta e sexta marchas”, completou.
 
Enquanto isso, nos boxes da Yamaha, a situação não parece muito favorável. Enquanto Maverick Viñales, se recuperando de uma lesão, fechou o dia na décima colocação, Valentino Rossi foi apenas o 11º. Isso mostra que a fábrica japonesa vai sofrer em mais um final de semana para brigar pela vitória, algo que o italiano acredita que a M1 não consiga entregar.