Indy

Pilotos detonam postura “vergonhosa” de Sato após acidente em Pocono: “Decepcionante”

Alexander Rossi, Ryan Hunter-Reay e James Hinchcliffe não gostaram nada da postura de Takuma Sato na volta inicial das 500 Milhas de Pocono, que resultou em um acidente assustador. Pilotos relembraram a pancada que deixou Robert Wickens paraplégico em 2018

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
Pilotos envolvidos no assustador acidente na largada das 500 Milhas de Pocono detonaram a postura do japonês Takuma Sato, que causou o ‘big-one’, e levou outros quatro nomes juntos.
 
Alexander Rossi largou na segunda posição e virou um ‘recheio de sanduíche’ ao ser espremido por Sato, batendo em Ryan Hunter-Reay. Rossi relembrou o grave acidente que deixou Robert Wickens paraplégico, na mesma pista e no ano passado, criticando o japonês. O piloto da Andretti é vice-líder do campeonato.
 
"Eram três carros lado a lado. Eu não consigo entender o jeito que o Takuma pensa depois do ano passado, de fazer a curva em cima de dois carros assim. É vergonhoso e decepcionante", disse em entrevista á NBCSN. Rossi ainda tenta voltar para a corrida.
 

 
Hunter-Reay foi uma peça do acidente e também foi envolvido na batida de Wickens em 2018. Ele afirmou que precisa ver o vídeo para tomar uma conclusão, mas lamentou tamanha agressividade em uma pista tão perigosa.
 
"Minha visão é que isso foi ridículo. Ainda bem que todos estão bem. Eu esperava que tínhamos aprendido a lição. Eu preciso ver o vídeo antes de comentar, mas eu só posso dizer que estava fazendo minha corrida e agora estou falando do centro médico", declarou.
 
James Hinchcliffe, que atingiu o muro quando pisava no freio para tentar sair da confusão, poupou palavras, mas lamentou o acidente, especialmente por conta da traumática pancada que Wickens sofreu.
 
"Vamos chamar uma pá de pá. Depois do ano passado, acho que não precisávamos falar alguma coisa", comentou o canadense da Schmidt Peterson.
 
Causador do acidente, Sato lamentou o estado de saúde de Felix Rosenqvist, o único envolvido que não foi liberado do centro médico, mas se defendeu e afirmou que não foi muito agressivo na primeira volta.
 
"Antes de tudo, estou preocupado com o Felix, espero que ele esteja tudo bem. E peço desculpas aos caras que estavam brigando pelo título. Eu e o Ryan estávamos correndo com pouco espaço, houve o toque e batemos. Não acho que fui muito agressivo, e se eu precisar ser punido, esperarei pela decisão da Indy", comentou Sato já pensando em uma possível suspensão.
 

 
Paddockast #29
ONE HIT WONDERS DO ESPORTE A MOTOR


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.