Indy

Parceira da McLaren, SPM lamenta separação, mas diz que “decisão foi da Honda”

Sam Schmidt, um dos fundadores da SPM, lamentou ter que desfazer o acordo de parceria com a Honda após quase uma década, especialmente por ser uma relação que tinha muito de lealdade. Entretanto, a oferta da McLaren era impossível de ser recusada, e a fábrica japonesa não quis trabalhar com os ingleses

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Desde 2010, a Honda é a fabricante de motores para a SPM. O acordo, entretanto, termina ao fim desta temporada, após a SPM fechar um acordo com a McLaren para que as duas juntem forças a partir do próximo campeonato da Indy. A nova equipe terá motores Chevrolet.
 
Segundo Sam Schmidt, um dos fundadores da SPM, o desejo era permanecer ao lado da Honda - com quem a equipe ainda tinha um ano restante no contrato. O que ele deixou claro, porém, é que a oportunidade da McLaren não podia ser rejeitada e, no final, foi a Honda quem rejeitou trabalhar ao lado do time inglês - fruto da relação quebrada entre McLaren e Honda nos três anos em que estiveram lado a lado na F1.
 
"Foi uma decisão extremamente difícil, porque há lealdade. Há a quantidade de tempo e muito sucesso e, no fim das contas, eles [Honda] são ótimos no esporte e como operadores. Quando eles não estão vencendo, fazem todo o possível para ganhar. Queríamos ficar com eles", disse à rede de TV norte-americana NBC Sports.
 
"Quando você analisa os prós e contras de cada lado, esse foi definitivamente um enorme negativo. Do outro lado, porém, havia tantos positivos que era algo a fazer sem pensar. No fim das contas, é uma pena, mas a decisão foi deles", falou.
McLaren corre temporada completa da Indy em 2020 (Foto: Reprodução)
Atualmente, a SPM conta com James Hinchcliffe e Marcus Ericsson como dupla de pilotos, mas apenas o canadense tem contrato para 2020. De acordo com Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, o telefone não para de tocar desde que o anúncio da parceria foi feito. Os pilotos estão interessados na nova equipe. Além disso, um terceiro carro estará disponível para Fernando Alonso correr as 500 Milhas de Indianápolis.
 
"O telefone tem estado realmente muito ativo desde que anunciamos, com todos os tipos de pessoas, mas vou deixar Sam comentar a situação dos pilotos", falou.
 
"É uma grande decisão entre a Arrows, a McLaren e nós, então muitas mentes ótimas e com enorme experiência estão avaliando", comentou Schmidt. "A primeira meta era o anúncio e, como Zak falou, os telefones começaram a piscar e nós fizemos uma lista. Mais tarde nessa semana vamos começar a tomar decisões e entrar nas análises. Fiquem atentos, mas vai demorar algumas semanas para fazermos anúncios", falou.
 
Schmidt ainda exaltou o fato de Gil de Ferran, diretor-esportivo da McLaren, ter sido colocado como grande conduíte entre as partes. 
 
"Estou muito animado que a McLaren colocou Gil de Ferran como a conexão principal entre nós. Ele tem campeonatos da Indy, vitória na Indy 500, parceria de muitos anos com Roger Penske, foi dono do próprio time com sucesso, então estou muito animado para trabalhar com ele como principal condutor entre as partes", explicou.
A McLaren vai correr a temporada completa da Indy em 2020 (Foto: McLaren)
"Temos que lidar bem com a oportunidade. É provavelmente nosso maior desafio, o fato de que vemos muitas oportunidades tanto do lado técnico quanto das comerciais. Acho que precisamos controlar essas oportunidades cuidadosamente para não passarmos do ponto. Precisamos de uma estrutura para conseguir isso e seguir adiante, algo muito animador para nós e nossos parceiros", seguiu.
 
A alta cúpula da McLaren já promoveu um encontro também para conhecerem o gerente-geral e o presidente da Arrow, Taylor Kiel e Jon Flack. A companhia segue como parceira estratégica da SPM-McLaren. 
 
"Conhecemos algumas pessoas que vão trabalhar ao nosso lado e começamos a identificar quais capacidades a McLaren tem. Gil e outras pessoas da McLaren estarão nas próximas corridas da Indy e em Indianápolis [na fábrica da SPM]. Começamos o processo de aprendizado da SPM sobre a McLaren e da McLaren sobre a SPM. Nos próximos meses, começaremos a identificar áreas em que podemos ajudar e amplificar o que a SPM tem sob seus cuidados hoje", finalizou Brown.

ASSISTA AGORA AO PRANCHETA GP

Paddockast #28
INTERROGANDO Flavio Gomes: O Boto do Reno


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.