Indy

Pagenaud se irrita com Newgarden e Kanaan chega ao limite na Ganassi: o que ficou do GP de Gateway

Piloto francês perde prova após levar toque de companheiro de equipe e líder do campeonato e sai de Gateway bravo com Newgarden. Já na Ganassi, abandono de Kanaan fez brasileiro parar de esconder estresse com a equipe

Warm Up / FELIPE NORONHA, de São Paulo

Quando Josef Newgarden deu o "chega pra lá" definitivo da prova de Gateway, no último sábado (26), tirando Simon Pagenaud não só da briga pela vitória da etapa, mas provavelmente também do título da temporada, criou a melhor história do final de semana da Indy, revoltando o francês. Mas não foi só este o caso de irritação que marcou a corrida no oval. Tony Kanaan, por exemplo, saiu muito bravo com a Ganassi - deixando de esconder um dos motivos que o farão sair da equipe em 2018.

Na Penske, o toque de Newgarden em Pagenaud, para ultrapassá-lo quando faltavam 30 voltas e não mais perder a liderança, fez o francês "soltar o verbo". Primeiramente, tentando se segurar: "Foi uma vergonha. Não sei o que dizer. Não tenho nada simpático a dizer. Então não vou dizer nada", já deixando clara a irritação.

Mas, em seguida, foi mais contundente: "Ele não tem respeito por mim e teve sorte que era eu, senão iriam os dois para o muro. Se fosse em um circuito misto teria sido bonito, mas em pista fechada nessa velocidade, não. Com o toque perdi meu momento e ele me passou. Se fosse qualquer outro, o teria jogado no muro.'


Por ser companheiro de Penske, Pagenaud tentou sempre pontuar as críticas com elogios à capacidade do time em colocar dois pilotos no pódio (Scott Dixon, da Ganassi, ficou em 2°, enquanto ele terminou em terceiro), mas não conseguiu fugir das palavras fortes.

"Foi péssimo que tenhamos deixado Dixon ficar entre nós, mas foi um desempenho dominante. Infelizmente tenho que ficar nesse clima ruim com um companheiro de equipe. Não dá para chamar de ultrapassagem justa de nenhuma maneira", finalizou.

Newgarden, por sua vez, não pediu desculpas. Pelo contrário: "Simon me deu espaço. Claro que não queria tocá-lo de forma tão forte, mas creio que se tivesse ido mais para a esquerda perderia o controle e tiraria ambos da prova. Ele não bateu no muro, então para mim funcionou bem para os dois a ultrapassagem."

Pagenaud viu Newgarden abrir 43 pontos de diferença para ele (547 a 504). O francês é o quarto na classificação, atrás de Helio Castroneves e Dixon, além do líder.

O pódio em Gateway (Foto: IndyCar)

Já Kanaan foi de poucas palavras após seu abandono em Gateway. Abandono, este, que ocorreu por ordem da equipe.

O piloto vinha mal, após rodar ainda na volta de apresentação, e rodava em 18° quando saiu da prova. Nos boxes, foi flagrado de cara fechada e, em poucas palavras, resumiu seu futuro na Ganassi: "Fale com Chip". 

Chip Ganassi, é claro, não falou. Mas se restava alguma dúvida sobre a saída de Kanaan da equipe na próxima temporada, dificilmente elas foram mantidas. 

Tony Kanaan (Foto: IndyCar)

Para completar o clima na equipe, Max Chilton foi claro em sua insatisfação quando ordenado a parar nos boxes durante a prova: "Gostaria de saber quem deu essa ordem, porque está com problemas no cérebro". "É a primeira vez no ano que temos um carro bom. Por que não aprendemos com isso?", completou.

Portanto, o que fica de Gateway, além do iminente título de Newgarden, é o clima péssimo na equipe que é a única que pode desbancar a Penske. Dixon terá que continuar sua briga solo contra quatro rivais unidos. Ou nem tanto, como Pagenaud deixou claro que será a partir de agora.

RENOVAÇÃO COM RÄIKKÖNEN DIZ MUITO SOBRE O QUE É A FERRARI E SEU PENSAMENTO SOBRE A F1