Indy
06/08/2018 16:20

McLaren ignora prazo da Andretti para definir entrada na Indy e admite que “tem outras opções” de parceria

Zak Brown não se preocupa com a data limite imposta por Michael Andretti para decidir se vai ou não para a Indy, ainda que admita que o time é a principal opção de parceira para 2019. No entanto, a McLaren ainda pesa alguns fatores para confirmar presença no grid e garante que tem outras opções
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Fernando Alonso na Indy 500 (Foto: McLaren Indy)
A McLaren continua bastante cautelosa em relação à decisão de estar ou não na Indy na temporada 2019. Ao jornal americano 'IndyStar', Zak Brown, chefe da equipe, garantiu que o time de Woking segue analisando alguns fatores e que não sente nenhuma pressão com a data limite imposta por Michael Andretti, assegurando que não apenas a Andretti possa ser uma parceira para o ano que vem.
 
Brown, aliás, garante que Michael não falou diretamente sobre um dia derradeiro para se decidir e reconheceu que, por mais que existam outras opções, a Andretti é uma bem forte, já que ambos os times estiveram juntos de Fernando Alonso na Indy 500 de 2017.
 
"Não fiquei sabendo de data limite, mas essa data é dele, da Andretti. Só que, por mais que exista uma grande chance, não quer dizer que será a Andretti a nossa parceira, nós temos outras opções", disse.
Zak Brown não quer que a Indy desvie o foco da McLaren na F1 (Foto: McLaren)
Só que o chefe da McLaren, por mais que não se preocupe com a pressão de Andretti, garantiu que não pode demorar para não prejudicar o desenvolvimento do time em 2019, caso resolva mesmo entrar na disputa.
 
"Ainda que eu não saiba de data alguma, não podemos demorar também para tomar uma decisão. A gente sabe que, se não formos rápidos, vamos ficar para trás na parte técnica, não vamos conseguir nos preparar da melhor forma. Então, logo mais teremos decidido tudo", seguiu.
 
Brown falou ainda que a F1 segue sendo prioridade para a McLaren e que, para entrar na Indy, não pode acontecer desvio de foco.
 
"O que falta ainda é saber se temos tudo para entrar na Indy. Recursos eu creio que sim, mas não podemos esquecer que a F1 é a prioridade e que, se ela estiver em risco de ficar comprometida pelos esforços na Indy, não podemos ir. Temos um novo diretor-técnico, estamos mexendo no time, então precisamos ter certeza que estamos prontos, temos condições e que não vamos atrapalhar as nossas metas na F1", completou.