FE

Vergne segura Evans e vence eP de Berna marcado por engarrafamento. Di Grassi é 10º

O eP de Berna, 11ª etapa da temporada 2018/19 da Fórmula E, contou com um ponto de exclamação sobre quem é o favorito a conquistar o título. Jean-Éric Vergne desgarrou e vai para Nova York com uma confortável vantagem a administrar

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
O afastamento dos primeiros colocados do campeonato pode até ter indicado que Jean-Éric Vergne teria vida fácil no eP de Berna deste sábado (22), mas nem perto disso. O atual campeão largou na ponta e passou boa parte da corrida sendo atacado agressivamente por Mitch Evans e sua Jaguar. Vergne, acostumado muito mais a atacar os rivais, precisou encurtar a pista e defender com tudo o que tinha. Fez isso e, assim, venceu a prova. 
 
A vitória de Vergne manda o campeonato para Nova York com um cenário diferente do visto até aqui no campeonato. Enfim, um enorme favorito. Mas a imagem da corrida não será a defesa de Vergne, não. Será a do acidente da chicane no final da primeira volta. Jérôme D'Ambrosio tocou Robin Frijns, que rodou, e depois acertou Daniel Abt. A batida englobou também Maximilian Günther, Pascal Wehrlein e André Lotterer e trancou a pista. 
 
Alguns pilotos escaparam por fora da chicane, outros ficaram presos no tráfego e os comissários decidiram dar bandeira vermelha e recomeçar a corrida nas posições em que estavam antes da batida. A corrida ficou parada por mais de 40 minutos.

Quando a corrida voltou, o ritmo estava ainda mais incendiário. Evans não parava de agredir Vergne, com ou sem modo ataque, de todas as formas possíveis. Mas o francês resistiu mesmo depois que a chuva chegou, nas voltas finais. Os dois cruzaram a linha de chegada separados por míseros 0s1. 
 
Sébastien Buemi completou o pódio após deter os avanços de um Lotterer que, tal qual São Lázaro, renasceu dos mortos após fazer parte do acidente da volta de abertura. Lotterer voltou aos boxes com o carro torto e completamente danificado, mas conseguiu os reparos necessários e voltou com capacidade de subir do oitavo para o quarto posto.
Jean-Éric Vergne (Foto: DS Techeetah)
Sam Bird, Maximilian Günther, Daniel Abt, Alex Lynn, Felipe Massa e Lucas Di Grassi fecharam o top-10.

O campeonato volta com a etapa derradeira em Nova York, nos dias 14 e 15 de julho. 

Confira como foi o eP de Berna:
 
Nada da esperada chuva para a hora da corrida em Berna. Pelo contrário: sol no céu para a prova e horário certo para a largada. Após os pilotos se animarem com a pista nos treinos, chegara a hora de colocar todo mundo junto no estreito traçado para a partida. 
 
Jean-Éric Vergne partiu bem e controlou o pelotão enquanto Sébastien Buemi partia para cima de Mitch Evans e tentava tomar a segunda colocação. Atrás dos três, todo mundo passava colado. Antes da freada da chicane, Jérôme D'Ambrosio abalroou a traseira de Robin Frijns, que perdeu o controle da Virgin e foi na direção do muro. 
 
D'Ambrosio continuou e acertou a traseira de Daniel Abt, que por sua vez tocou Maximilian Günther. O alemão se encontrou com Pascal Wehrlein na curva, o que causou o fechamento do contorno da chicane. André Lotterer não conseguiu escapar e subiu na traseira de Günther. Quem vinha mais atrás e não parou atrás dos batidos, saiu pelo lado de fora da chicane e ganhou muitas posições, mas a bandeira vermelha apareceu.
Engarrafamento no eP de Berna (Foto: Reprodução/BBC)
Felipe Massa, que largou em 12º, surgia em quarto; Lucas Di Grassi e António Félix da Costa, saindo de 19º e 20º, apareciam em oitavo e nono. Mas a bandeira vermelha obrigou que todos voltassem às posições originais para uma relargada, algo que irritou os pilotos. Di Grassi era o mais exaltado e pedia revisão da decisão e recebia apoio de Massa, Da Costa e José María López, entre outros vários. 
 
A nova bandeira verde apareceu mais de 40 minutos após a vermelha, mas deu tempo para quase todo mundo voltar para a corrida: apenas Frijns abandonou. Na relargada, Evans se separou de Buemi e passou a atacar Vergne, enquanto Di Grassi e Da Costa começavam a ganhar posições no fundo do pelotão. Mais cuidado dessa vez.
 
Quem não teve cuidado foi Edoardo Mortara, que na quarta volta não conseguiu fazer a curva e acertou Alexander Sims. Por muita sorte, nenhum deles abandonou a corrida, mas Sims perdeu ritmo. Na sequência, Jérôme D'Ambrosio recebeu um drive-through por ter causado o incidente com Frijns. 
 
Stoffel Vandoorne, Da Costa, Di Grassi, Buemi e Abt foram os vencedores do FanBoost.
Pascal Wehrlein (Foto: Mahindra)
O ímpeto de Evans ao tentar ultrapassar Vergne caiu após algumas voltas, mas Sam Bird executou uma passagem espetacular para cima de Günther pelo quinto lugar. Por fora na curva três, entortou a Virgin até conseguir contornar na frente. Mais atrás, Lotterer passou a ser investigado por desrespeitar as luzes vermelhas do pit-lane quanto entrou durante a paralisação. 

Após voltar à corrida quando parecia já ter abandonado, Wehrlein teve problemas quando ocupava a quarta colocação e parou na pista. Fim de corrida para ele e full course yellow na pista. Evans já havia voltado a atacar no começo da rodada de acionamentos de modo ataque, mas Vergne segurava. Na retomada da prova, o piloto da Jaguar tentou novamente pegar o modo ataque e incomodou, mas Vergne segurou muito bem.
 
Um pouco mais atrás, Lotterer fazia o Lázaro: depois de voltar do abandono para a corrida, ganhava posições: com uma ultrapassagem limpa, sacou Günther da frente e assumiu o quinto lugar. Di Grassi e Da Costa, sempre juntos, seguiam ganhando posições: deixaram López para trás e chegavam ao 11º e 12º com menos de 15 minutos para o fim. 

Sem modo ataque, Evans ficou para trás. Agora, a briga estava em Lotterer perseguindo Bird enquanto a chuva se aproximava - e chegou com menos de cinco minutos para o final da corrida. Quando a chuva chegou, Evans voltou. Lotterer conseguiu sacar Bird da frente após um erro do inglês, mas agora os olhares estavam todos apontados para a chuva. Os quatro primeiros colocados se juntaram para as três voltas finais.

Os ataques constantes de Evans não renderam ultrapassagem. Na chuva forte, os carros sambaram e resistiram; Buemi também segurou Lotterer, enquanto Bird chegou a perder o controle nos metros finais, mas fechou em quinto. Günther, Abt, Lynn vieram na sequência, enquanto Massa e Di Grassi cruzaram a volta final se empurrando em busca de espaço, mas Felipe manteve o nono posto. A melhor volta da corrida foi de Da Costa, mas como o português terminou somente na 12ª colocação, Bird ficou com a melhor volta.

FE, eP de Berna, Resultado Final:

1 J.E VERGNE DS Techeetah 31 voltas  
2 M EVANS Jaguar +0.160  
3 S BUEMI Nissan +0.720  
4 A LOTTERER DS Techeetah +1.106  
5 S BIRD Virgin Audi +2.996  
6 M GÜNTHER Dragon Penske +4.625  
7 D ABT Audi +6.930  
8 A LYNN Jaguar +9.972  
9 F MASSA Venturi +12.310  
10 L DI GRASSI Audi +13.073  
11 S VANDOORNE HWA Venturi +13.386  
12 A FÉLIX DA COSTA BMW +13.917  
13 J.M LÓPEZ Dragon Penske +14.271  
14 A SIMS BMW +14.714  
15 J D'AMBROSIO Mahindra +21.872  
16 T DILLMANN NIO +40.084  
17 O TURVEY NIO +46.622  
18 G PAFFETT HWA Venturi +1:22.512 NC
19 O ROWLAND Nissan +10 voltas NC
20 P WEHRLEIN Mahindra +20 voltas NC
21 E MORTARA Venturi +26 voltas NC
22 R FRIJNS Virgin Audi   NC


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.