carregando
F1

Williams sonha com versão atualizada do motor Mercedes, mas prioriza temporada “sem punições até fim do ano”

Dividido entre a confiabilidade e a ousadia, Rob Smedley deixou claro que quer contar com o poderoso motor Mercedes que ajudou Lewis Hamilton a desfilar em Monza no último fim de semana. Por outro lado, o engenheiro britânico quer manter a Williams livre de punições em 2015

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
O fim de semana do GP da Itália, em Monza, foi mais uma amostra da enorme superioridade dos motores — e da equipe — Mercedes na F1. Se antes a força da unidade de força construída na fábrica em Brixworth já era a melhor do grid, a versão atualizada usada por Lewis Hamilton durante a corrida fez com que o bicampeão do mundo sobrasse e desse um autêntico passeio no domingo (6).

Para Monza, a Mercedes gastou as sete fichas de desenvolvimento restantes e reforçou ainda mais o motor dos carros da equipe de fábrica. Contudo, Nico Rosberg enfrentou problemas no sábado e teve de voltar à versão antiga, ao passo que Lewis não teve qualquer contratempo e dominou como quis um fim de semana perfeito no GP da Itália.

Contudo, as equipes clientes da Mercedes — Williams, Lotus e Force India — ainda não têm previsão de quando receberão a versão atualizada dos motores. Rob Smedley, chefe de performance da equipe da qual faz parte Felipe Massa, deixou claro que quer muito contar com a unidade de potência reforçada da Mercedes, mas ponderou: deseja que tanto Massa quanto Valtteri Bottas sigam até o fim da temporada sem punições por troca de motor.
A Mercedes sobrou em Monza no último fim de semana. Parte deste domínio se deve à versão atualizada do motor Mercedes (Foto: AP)
Em Monza, Massa e Bottas usaram o terceiro motor dos quatro a que cada piloto tem direito na temporada sem que isso acarrete punição por troca, o que vem acontecendo de forma frequente com os pilotos de Red Bull e Toro Rosso, empurrados pela Renault, e McLaren, que é impulsionada pela Honda.

“Obviamente, a equipe de fábrica da Mercedes teve uma atualização na unidade de força que eu gostaria muito que tivesse também em nosso carro. Parece que foi um grande avanço. Lewis certamente foi muito rápido”, destacou o engenheiro britânico.

“Temos uma nova unidade de força antes do fim do ano. Se isso é sobre a nova especificação, não posso dizer, mas isso está em discussão neste momento. Se conseguirmos tê-la antes do fim do ano, será uma grande vantagem para nós”, comentou Smedley.

“Estamos no rumo certo em relação ao que nos propusemos no começo do ano. Tivemos muitos percalços com isso, estamos explorando os limites de forma sensata. E nós estamos numa estratégia em que não teremos nenhuma punição até o fim do ano, se nada mudar daqui em diante”, acrescentou.

Massa também não vê a hora de contar com a versão atualizada do motor Mercedes, ainda mais depois da performance avassaladora de Hamilton em Monza. “Parece de fato uma grande melhora. Não tenho nenhuma ideia de quando vamos tê-lo. Espero que possamos tê-lo.”

Por outro lado, Federico Gastaldi, chefe-adjunto da Lotus, não faz ideia de quando Pastor Maldonado e Romain Grosjean terão os novos motores da Mercedes. “Não sei, para ser sincero. Estamos esperando ouvir isso deles. Não está em nossas mãos. Precisamos entender quando eles estarão prontos”, falou o engenheiro argentino.