carregando
F1

Verstappen surpreende e coloca Toro Rosso na frente em movimentado primeiro treino no México. Massa é décimo

Com uma grande volta no fim da sessão da manhã desta sexta-feira (30), Max Verstappen assegurou o melhor tempo do primeiro treino livre do GP do México, prova que volta ao calendário do Mundial de F1 nesta temporada. Felipe Massa foi o melhor brasileiro e fechou em décimo

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Max Verstappen foi o grande nome do primeiro treino livre que marca o retorno da F1 ao México. Na manhã desta sexta-feira (30), marcada pela pista mais úmida no início das atividades de pista, o holandês conseguiu uma ótima volta nos minutos finais da sessão no Autódromo Hermanos Rodríguez. Com 1min25s990, o piloto mais jovem da F1 conseguiu colocar a Toro Rosso na frente, seguido por Daniil Kvyat, da Red Bull, e Kimi Räikkönen, fechando o top-3 com a Ferrari. Felipe Massa foi o melhor brasileiro e terminou em décimo.

Foi um treino bastante movimentado, primeiro em virtude da pista úmida e verde, o que fez com que os pilotos enfrentassem problemas de aderência. Mas o asfalto secou com o passar do tempo, e os competidores conseguiram melhorar consideravelmente suas marcas nesta manhã.

Sebastian Vettel conseguiu o quarto melhor tempo, seguido por Daniel Ricciardo, que liderou boa parte da sessão. Outro que liderou foi Nico Rosberg, que enfrentou problemas de superaquecimento dos freios traseiros, mas ainda finalizou em sexto. Valtteri Bottas foi o melhor colocado da Williams ao fechar em sétimo, seguido por Carlos Sainz Jr. Astro local, Sergio Pérez se colocou em nono, logo à frente de Massa. Lewis Hamilton, novo tricampeão mundial, veio na sequência, em 11º. Por sua vez, Felipe Nasr fechou a manhã em 14º.

Max Verstappen brilhou no primeiro treino livre do GP do México (Foto: Red Bull)
Saiba como foi o primeiro treino livre do GP do México
 
Depois de muita expectativa, finalmente a F1 voltou a roncar seus motores no Autódromo Hermanos Rodríguez. Claro que o barulho era muito diferente dos propulsores aspirados de 23 anos atrás, mas ter o Mundial de volta ao México era motivo de grande comemoração para quem já estava nas arquibancadas. Aos pilotos e equipes, a missão era, antes de tudo, aprender o circuito e entender o desempenho dos carros diante dos 2.200 metros de altitude da Cidade do México.

O primeiro piloto a acelerar no asfalto, ainda molhado — em decorrência das chuvas no começo da manhã na Cidade do México —, do Autódromo Hermanos Rodríguez, foi Pastor Maldonado, da Lotus. Pastor foi seguido pela maioria dos competidores, todos usando pneus intermediários, mas apenas para a realização de voltas de instalação e checagem das condições do asfalto e dos carros.
Pastor Maldonado foi o primeiro a ganhar a pista no México (Foto: F1/Reprodução)
Por ser nova, a pista ainda estava muito verde, e com a água, tudo tornava ainda mais difícil a pilotagem. Em uma das suas voltas pelo circuito, Daniil Kvyat e Max Verstappen disseram que o asfalto ainda estava muito escorregadio, o que melhoraria com o passar do tempo e dos carros pelo traçado.

O primeiro piloto a marcar tempo no novo Hermanos Rodríguez foi Kimi Räikkönen, que registrou 1min37s169. Enquanto isso, Verstappen alcançava 337 km/h de velocidade final ainda usando os pneus intermediários no fim da grande reta dos boxes. E a pista secava consideravelmente, encoraando os pilotos a melhorarem suas respectivas marcas. Tanto que o próprio Verstappen anotou 1min35s283 em seguida, mesmo brigando com o carro diante do asfalto escorregadio. Isso com apenas 15 minutos de treino no México.

Os carros da dominante Mercedes deram o ar da sua graça pouco depois. Primeiro, com Rosberg, que logo de cara anotou o segundo melhor tempo: 1min33s174, ficando só atrás do tempo estabelecido por Carlos Sainz, que marcou seu tempo com pneus intermediários. Em contrapartida, as Williams de Valtteri Bottas e Felipe Massa foram os primeiros carros a deixarem os boxes com pneus médios.
Valtteri Bottas foi o primeiro a rodar com pneus médios nesta manhã no México (Foto: F1/Reprodução)
E em sua primeira volta rápida, Bottas baixou em 0s6 a marca de Sainz e cravou 1min32s489, avançando para primeiro. Naquele momento, Hamilton deixava os boxes, já usando os pneus médios, assim como Vettel, que também usava os pneus 'brancos' , mas enfrentava dificuldades para controlar sua Ferrari. 

E Hamilton não levou muito tempo para se colocar entre os primeiros. Mesmo saindo de frente, em razão da pouca aderência da pista, Lewis já conseguia assumir o segundo lugar, sendo superado apenas por Bottas, que tinha 1min30s678 na primeira meia hora de sessão. O finlandês já havia alcançado 353 km/h no fim da grande reta, como previsto pelas equipes. Até que, nesta fase da sessão, os pilotos tinham de regressar aos boxes para entregar o jogo extra de pneus médios.

Com o passar do tempo, a pista realmente estava bem melhor. Assim, Ricciardo subiu para a ponta ao superar a marca de Bottas em 0s101. Mas em seguida, o australiano ampliou sua vantagem na ponta ao registrar 1min29s502. Com metade da sessão percorrida, Ricciardo era o líder, seguido por Bottas, Sainz Jr. e Verstappen, com Hamilton aparecendo em quinto. Nasr vinha em décimo, duas posições à frente do compatriota Massa.
Reserva em 2015 e titular em 2016, Jolyon Palmer chegou a liderar com a Lotus no México (Foto: F1/Reprodução)
Aí Alonso surpreendeu ao colocar sua McLaren — equipada com motor novo — em seguno lugar, 0s623 atrás de Ricciardo. Maldonado também tinha feito uma grande volta e ocupava o terceiro posto. A sessão ganhava uma dinâmica bem interessante e com muitas trocas de posições. Porque era a vez de Palmer, reserva em 2015 e titular da Lotus em 2016, aparecia em primeiro depois de ter superado Ricciardo. O time de Enstone também colocava também Maldonado em terceiro.

Aí a Mercedes voltou a mostrar seu poderio, primeiro com Rosberg, que assinalou 1min28s399 e se posicionou em primeiro. Nico melhorou seu tempo, até que Hamilton conseguiu completar a dobradinha da Mercedes. Astro local, Pérez também brilhava e ocupava o terceiro lugar, enquanto Nasr rodava na entrada da curva Nigel Mansell. Mas o jovem brasileiro conseguiu voltar à pista sem bater no muro.
Nico Rosberg tem de lidar com superaquecimento dos freios pela manhã (Foto: F1/Reprodução)
Aí Rosberg continuava a melhorar sua marca depois de registrar 1min27s226. De quebra, o alemão alcançava incríveis 361 km/h no fim da reta, indicando que o motor Mercedes tinha tudo para sobrar no fim de semana em razão do ar menos denso da Cidade do México. Até que Nico teve problemas nos freios, com o disco da roda traseira direita a pegar fogo. Por isso, o piloto do carro #6 teve de recolher de volta para os boxes.

Só que aí foi a vez de a Red Bull mostrar que a ascensão exibida em Austin não foi por acaso. Tanto que o time tetracampeão do mundo colocou seus dois carros nas duas primeiras posições, com Kvyat na frente com 1min26s295, seguido por Ricciardo.

Na fase final da sessão, chamava a atenção o fato de Alonso rodar, já com a pista seca, com os pneus intermediários. O bicampeão justificou ao dizer que "havia trechos com mais aderência aos intermediários do que aos médios". Era o momento de o espanhol coletar dados para análise da McLaren e da Honda neste primeiro dia de atividades no Hermanos Rodríguez, já que Jenson Button, com problemas no motor, encerrava mais cedo sua participação no treino.

Mas a sessão estava longe de ter seus tempos definidos, já que muitos pilotos conseguiram melhorar suas marcas no fim. Kimi Räikkönen conseguiu avançar para segundo lugar, mas logo foi superado por Verstappen, formando uma nova 'dobradinha taurina'  no México. Lewis Hamilton, sem ir para a pista, era apenas o décimo colocado.

E Verstappen, com uma grande forma e um ótimo stint, finalmente assumiu a liderança ao anotar 1min25s990 no fim da sessão. Um ótimo tempo quase ao fim das atividades na primeira sessão no México. Assim, Max virava o mais jovem piloto da história a liderar um treino livre na F1.

F1, GP do México, Autódromo Hermanos Rodríguez, primeiro treino livre:
 
1 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 1:25.990   38
2 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:26.295 +0.305 27
3 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:26.295 +0.305 36
4 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:26.886 +0.896 31
5 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:27.185 +1.195 28
6 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:27.196 +1.206 19
7 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:27.303 +1.313 26
8 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:27.410 +1.420 37
9 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:27.581 +1.591 19
10 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:27.695 +1.705 24
11 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:27.723 +1.733 27
12 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:28.498 +2.508 27
13 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 1:28.559 +2.569 30
14 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:28.579 +2.589 25
15 30 JOLYON PALMER ING LOTUS MERCEDES 1:28.711 +2.721 24
16 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:29.099 +3.109 17
17 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:30.072 +4.082 17
18 53 ALEXANDER ROSSI EUA MANOR MARUSSIA FERRARI 1:30.619 +4.629 23
19 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 1:32.091 +6.101 9
20 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI 1:32.866 +6.876 11
    TEMPO 107% TL1   1:32.009 +6.019  
               
RECORDE MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 1:25.990 30/10/15