carregando
F1

Verstappen custa a acreditar em vitória histórica, agradece Red Bull por “grande carro” e dedica triunfo ao pai

Max Verstappen nem acredita, mas ele é, sim, um piloto vencedor na F1. Aos 18 anos e sete meses, o holandês fez novamente história ao se tornar o mais jovem a subir no topo do pódio do Mundial. Após ouvir o hino do seu país, entoado pela primeira vez na F1, Verstappen dedicou o triunfo ao pai e maior apoiador, o ex-piloto Jos Verstappen

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
A F1 viveu neste domingo (15) um dia histórico. Max Verstappen, depois de ter largado em quarto lugar, fez uma corrida soberba, sem erros, com a maturidade e personalidade de um veterano. Brindado também pelo incidente inacreditável entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg na largada do GP da Espanha, o holandês aproveitou a estratégia ousada de apenas duas paradas promovida pela Red Bull, segurou na raça a pressão de Kimi Räikkönen nas voltas finais e cruzou a linha de chegada na frente, tornando-se o mais jovem piloto a triunfar na F1, com 18 anos e sete meses
 
Ao falar sobre a conquista incrível, Verstappen dedicou o triunfo à Red Bull, ao pai, o ex-piloto de F1 Jos Verstappen, mas também disse que a ‘ficha ainda vai demorar a cair’.
Max Verstappen faz história em Barcelona com vitória no GP da Espanha (Foto: Getty Images)
“É algo incrível, mal posso acreditar nisso. Foi uma bela prova. Tenho de agradecer à equipe por ter me dado um grande carro”, vibrou Max durante entrevista logo após o resultado conquistado em sua primeira corrida feita pela Red Bull. Verstappen foi alçado ao time austríaco na esteira do polêmico rebaixamento de Daniil Kvyat à Toro Rosso depois do GP da Rússia.
 
“Foi uma grande corrida. Agradeço à equipe por me dar um carro incrível. Desde criança, meu pai me ajudou muito, esta conquista é incrível”, vibrou o piloto, que confessa ter sofrido bastante nas voltas finais, sobretudo pela ansiedade. 

“Administrei minha velocidade, os pneus, tudo... fizemos a melhor estratégia possível. Sofri um pouco de pressão de Kimi lá atrás, mas aqui é difícil de ultrapassar, por isso foi só não cometer erros, não travar a frente do carro, e deu certo. Estava almejando um pódio, mas vencer logo de cara é incrível”, relatou.
 
“Foi espetacular. A prova parecia com uma corrida de endurance para mim, especialmente as dez últimas voltas. Não podia acreditar que eu estava liderando a corrida. Não podia acreditar!”, comemorou o holandês, que foi saudado por Sebastian Vettel. 
 
O tetracampeão, terceiro colocado no GP da Espanha, era, até hoje, o piloto mais jovem a vencer na F1. O triunfo no GP da Itália de 2008, quando corria pela Toro Rosso, veio com 21 anos, dois meses e 11 dias. “Parabéns ao Max. É uma grande conquista e este é seu dia”, destacou o tetracampeão do mundo. 
 
Verstappen, ao que tudo indica, tem tudo para repetir os passos de Vettel num futuro próximo.
O QUE ESTÁ POR TRÁS DO RECENTE NOTICIÁRIO SOBRE SCHUMACHER