F1

Ricciardo dedica resultado da Renault em Monza “a quem construiu esse motor”

Daniel Ricciardo e Nico Hülkenberg foram respectivamente quarto e quinto em Monza. O resultado surpreendeu o australiano, que aplaude a evolução da unidade de potência, a ponto de permitir bom resultado em pista de alta velocidade

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Daniel Ricciardo foi o protagonista daquela que pode ser considerada a atuação mais convincente da Renault na Fórmula 1 nos últimos tempos. O australiano cruzou a linha de chegada em quarto no GP da Itália deste domingo (8), superando expectativas negativas a respeito da performance do carro francês em pista de alta velocidade. Ricciardo chega ao ponto de indicar que o resultado só foi possível por conta da evolução do motor francês.
 
“Seria lindo terminar uma posição acima, mas quem merece champanhe aqui é o pessoal que construiu esse motor”, disse Ricciardo. “Conseguir um resultado desses nessa pista é ótimo. Em anos recentes você nunca ficaria otimista ao vir para Monza com motor Renault, então o champanhe é deles hoje. Eles fizeram mudanças que nos permitiram andar de forma competitiva aqui”, destacou.
 
Ricciardo fechou a primeira volta em sexto. Entretanto, Sebastian Vettel rodou ainda no começo e Nico Hülkenberg começou a perder rendimento, permitindo a ascensão para quarto. O #27 conseguiu segurar o quinto lugar até o fim.
A Renault fez grande corrida neste domingo em Monza (Foto: Renault/Twitter)
“O Nico fez uma boa largada e até passou o Vettel no começo, mas aí ele começou a ter problemas e eu me aproximei com DRS”, comentou. “Ele não dificultou para mim, acho que ele viu que eu era mais feliz. Ouvi que o Albon colocou muita pressão nele no fim da corrida, mas o Nico conseguiu segurar. Então, sim, quarto e quinto em uma pista de potência é uma grande amostra. Tenho orgulho de fazer parte dessa equipe”, concluiu.
 
Hülkenberg, mesmo sem a mesma performance do companheiro, ficou satisfeito com um resultado forte da equipe.
 
“Sempre é difícil esperar algo bom. Viemos de Spa com bom ritmo e sabíamos que estávamos em boa forma. Nós nos recompensamos com o maior número de pontos que somamos [numa só corrida] desde que cheguei na equipe. Eu estava sofrendo com a traseira do carro, e aí ele [Ricciardo] passou e me deu vácuo, aí nós escapamos do pelotão intermediário. Singapura é uma pista que depende de aderência, então tomara que a gente tenha uma atualização que ajude nisso”, finalizou.

Paddockast #32
AS PISTAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.