F1

Red Bull diz que Vettel foi “roubado” em punição no Canadá, culpa Hamilton e pede mudança de regras

O consultor da Red Bull, Helmut Marko, saiu em defesa de Sebastian Vettel por conta do incidente do GP do Canadá. Segundo ele, o tetracampeão foi injustiçado e Lewis Hamilton também teve culpa no cartório. Por fim, lembrou a disputa entre Gilles Villeneuve e René Arnoux no GP da França de 1979 como algo que a Fórmula 1 deveria mirar

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
Helmut Marko, o consultor da Red Bull e responsável por dividir as decisões da equipe da marca dos energéticos ao lado do chefe Christian Horner, falou sobre a punição que marcou o GP do Canadá e definiu a vitória para Lewis Hamilton. Segundo Marko, uma injustiça com um Sebastian Vettel que sequer tinha como tomar outra atitude. E Hamilton, ele avalia, também foi parte do problema.
 
Em entrevista à revista alemã 'Auto Bild', Marko avaliou que Vettel fez a única coisa que podia enquanto Hamilton, sim, foi até o limite mesmo com o perigo da batida. E depois reclamou para causar a abertura de um procedimento de revisão.
 
"Sebastian não fez nada errado. Estava ocupado em manter o carro na pista. Hamilton poderia apenas ter passado por dentro ou simplesmente freado. Também tinha o dever de evitar um acidente, mas deliberadamente assumiu o risco de colisão para ganhar vantagem. Por isso que ele reclamou com a equipe no rádio. Seb fez tudo certo. Quando ele trocou as placas das posições, mostrou publicamente o que estava sentido: que a vitória foi roubada dele. A punição para Sebastian é injusta e deixa um gosto ruim na boca. As regras precisam ser modificadas urgentemente", disse.
Sebastian Vettel (Foto: AFP)
Na sequência, lembrou do caso de 2016 em Mônaco, algo que Daniel Ricciardo já fizera. Para Marko, naquele caso Lewis foi de propósito para cima do australiano. Pediu, ainda, uma revisão das regras para que a F1 volte a permitir batalhas como os do famoso embate entre Gilles Villeneuve e René Arnoux no GP da França de 1979.
 
"Diferente do futebol, os comissários têm tempo o bastante para pensar em tudo que fazem e podem usar casos antigos como exemplos. Em Mônaco 2016, Hamilton cometeu um erro na chicane da marina e empurrou nosso Daniel Ricciardo para longe quando voltou para a pista. Diferente de Sebastian, ele fez de propósito. Mas não teve punição", seguiu.
 
"É assim que você arruína o esporte. Os fãs, especialmente os jovens, querem ver combates duros entre os melhores pilotos do mundo. Batalhas como a de Villeneuve e Arnoux em Dijon 1979 transformaram o esporte no que ele era. Eles jogaram o carro um no outro umas 20 vezes, empurraram um ao outro para fora da pista, voltaram de novo. No fim os dois se abraçaram e comemoraram. Ninguém pensou numa punição", encerrou.

Além de Marko, Mario Andretti e Nigel Mansell fizeram avaliações parecidas, enquanto Damon Hill falou de forma mais equilibrada e Nico Rosbergo gostou da punição.
 
A Red Bull de Marko terminou com Max Verstappen na quinta colocação e Pierre Gasly abaixo dele, no oitavo posto.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.