carregando
F1

Räikkönen diz que acidentes são “parte do jogo” e não o fizeram mudar de opinião sobre química com Ferrari

Kimi Räikkönen não vai voltar atrás no que disse no início da temporada, sobre ter química com o carro da Ferrari, por causa de dois problemas em corridas seguidas. Segundo Kimi, se trata de algo normal

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
Os incidentes das duas últimas corridas envolvendo Kimi Räikkönen não fizeram o campeão mundial de 2007 mudar de opinião quanto ao carro se encaixar com seu estilo de pilotagem. Räikkönen continua vendo o carro da Ferrari deste ano, ao contrário do ano passado, como de boa química com ele.
 
Segundo o finlandês, acidentes são "parte do jogo", mas não um motivo para mudar sua opinião. E lembrou: a Ferrari melhorou tanto desde o ano passado que às vezes a evolução passa como algo natural.
 
"Não vejo o porquê deu de repente não gostar mais. Ter tido um acidente não muda nada. Eu tive acidentes muitas vezes, é parte do jogo. Melhoramos o carro, ainda é um excelente carro, obviamente não é rápido o bastante para desafiar a Mercedes o tempo inteiro, mas é um carro muito bom e muito melhor que o ano passado", reafirmou.
Maldonado, Stevens, Ericsson, Bottas, Button e Räikkönen falaram nesta quinta (Foto: AP)
"De vez em quando as coisas dão errado, mas não significa que você de repente odeia o carro. É parte do jogo. Como eu disse, é um bom pacote e obviamente queremos melhorar e ser mais rápidos. As coisas sempre podem melhorar. Mesmo se você está num carro vencedor, sempre quer mais. Como eu disse, percorremos uma distância tão grande desde o ano passado que as pessoas esquecem. Ainda estamos com o trabalho em progresso", concluiu Kimi.
 
Com o contrato terminando no fim do ano, Kimi não sabe se fica na Ferrari. Já foi criticado pelo chefe Maurizio Arrivabene e vê diversas especulações sobre quem seria seu substituto. Os nomes de Valtteri Bottas, Daniel Ricciardo e Nico Hülkenberg são os que aparecem com mais força.