F1

Pole de Vettel em Cingapura acaba com sequência da Mercedes e segunda maior seca da Ferrari

Sebastian Vettel deu à Ferrari uma pole-position que não vinha havia mais de 3 anos: desde o GP da Alemanha de 2012, com Fernando Alonso saindo na frente. Era a segunda maior sequência da equipe sem poles na F1

Warm Up / VICTOR MARTINS, de São Paulo
A pole de Sebastian Vettel neste sábado (19) em Cingapura é um marco na história da Ferrari. Sobretudo porque acaba com uma seca que já era a segunda maior da equipe de maior retrospecto da F1.

Havia 60 corridas que a Ferrari não conseguia a posição de honra em um grid da F1: foi em 2012, GP da Alemanha em Hockenheim, que Fernando Alonso colocou seu nome como o último pole da escuderia de Maranello. No total em tempo, são 3 anos, 1 mês e 27 dias.
Sebastian Vettel larga na pole em Cingapura (Foto: AP)
O maior período sem poles da Ferrari aconteceu entre o GP de Portugal de 1990 — onde Nigel Mansell saiu na frente — e o da Alemanha de 1994 — em que Gerhard Berger deu fim à sina. Também foram 60 provas, mas o tempo foi maior: 3 anos, 10 meses e 8 dias.

Vettel conquistou a pole 208 da Ferrari na F1, acabando com a sequência da Mercedes que durava desde o GP da Inglaterra de 2014: 23 corridas no total. O time alemão, se confirmasse o que todos esperavam, igualaria o recorde de 24 poles seguidas da Williams entre 1993 e 1994.

Também foi a primeira pole de um carro que não tem motor Mercedes desde o GP do Brasil de 2013, com Vettel na Red Bull Renault.

Ainda, chegou ao fim junto da sequência da Mercedes a chance de Lewis Hamilton igualar um recorde que segue pertencendo a Ayrton Senna: o de poles consecutivas na F1, com oito.

O GP de Cingapura tem início às 9h (de Brasília) deste domingo, com acompanhamento em TEMPO REAL do GRANDE PRÊMIO.