F1

Pilotos, equipes e dirigentes do esporte a motor lamentam morte precoce de María de Villota

Exemplo de superação, pilota espanhola foi encontrada morta nesta sexta-feira (11) em um quarto de hotel em Sevilha, na Espanha. Um dos mais abalados, Alonso se declarou em “estado de choque” e foi acompanhado por nomes como Marc Gené, Sergio Pérez, Dani Pedrosa e Jorge Lorenzo: “Ela era uma lutadora. O esporte ficará menor”, lamentou o piloto

Warm Up / Redação GP, de Guarulhos
 
O falecimento de María de Villota, encontrada morta na madrugada desta sexta-feira (11) em um quarto de hotel em Sevilha, na Espanha, abalou o universo do esporte a motor.
 
Raro exemplo de mulher competitiva no automobilismo e, posteriormente, referência na luta pela própria vida, se mantendo sempre positiva em relação à sua complicada recuperação após seu grave acidente sofrido em 2012, durante um teste com a Marussia no aeroporto de Duxford, no Reino Unido, a espanhola conquistou amigos e admiradores em sua caminhada, e lançaria na próxima segunda (14) a auto-biografia "A vida é um presente".
 
Consternado, Fernando Alonso, décimo colocado no primeiro dia de treinos livres para o GP do Japão, soube da notícia de sua compatriota assim que deixou o carro após as atividades em Suzuka. "Não sei o que dizer. Estou em estado de choque", expressou. "Temos que rezar por ela e estar muito próximos de sua família. María era muito querida por todos nós, por toda a família do automobilismo. Estou sem palavras", lamentou.
 
Outros pilotos, dirigentes e equipes de diferentes categorias também se manifestaram, à imprensa ou por redes sociais como o Twitter.
 
 
Marc Gené: "Estou muito abalado. Não acredito. Corri com ela há seis anos. Me lembro que ela sempre queria que a tratassem como uma a mais, e não de forma diferente por ser mulher. Me surpreendeu muito a notícia, porque estive no hospital no ano passado e ela estava muito mal, mas no fim, saiu de lá e a recuperação ia muito bem. Não entendo o que pode ter acontecido. Parece impossível, além de tudo quando tudo o que recebíamos dela eram mensagens positivas. Falei com ela logo antes de vir ao Japão, porque ela havia me pedido se eu poderia escrever parte do prólogo de seu livro, e falei com ela porque ela queria me agradecer, ou seja, ela estava entusiasmada, empolgada com o livro, e acredito que também queria compartilhar com as pessoas como havia superado estes momentos tão difíceis que teve."

Pedro de la Rosa: "É um golpe duríssimo, de verdade. Estou muito triste, acima de tudo porque María havia passado um ano muito duro, tinha se recuperado, tinha vontade brutal de viver, tudo começava a funcionar outra vez para ela. De verdade, é muito triste. María, com todas as suas dificuldades, sempre estava contente e sempre tinha palavras amáveis. Sempre tinha vontade de se superar e enfrentar os desafios mais difíceis, ou seja, espero ficar com seu sorriso e espero aprender esta lição de vida que ela sempre nos deu."
 
Carmen Jordá: "Dia muito triste... A vida é injusta, às vezes. Você lutou muito por seu sonho, companheira. Se vai como uma grande campeã. Descanse em paz, María."
 
Sergio Pérez: "É uma notícia muito, muito triste. Quando se vai alguém que deu a vida por este esporte e a colocou em risco, como todos nós, é muito triste. María tinha muita vontade de ser alguém na vida e lutou muito por ela. É uma notícia muito triste para todos."

Jenson Button: "A notícia de hoje sobre María de Villota é terrível e trágica. Ela passou por muito, muito mais do que a maioria das pessoas nunca passarão na vida. Foi muito duro para ela e este é um verdadeiro choque para toda a família da F1 e do mundo do esporte a motor. Meus pensamentos estão com sua família neste momento."

Jaime Alguersuari: "Uma manhã escura de notícias. Hoje nos deixou alguém a quem admirava muitíssimo. Uma verdadeira lutadora. María, descanse em paz."
 
Jorge Lorenzo: "Que notícia mais triste acabo de receber, a grande perda de María de Villota, uma lutadora. O esporte ficará menor. Estou muito abalado porque, ainda que não a conhecesse pessoalmente, via uma garota muito legal, com um grande espírito de superação. Havia aceitado essa lesão tão grave de uma maneira que melhor, impossível. Não se sabe por que isso aconteceu, mas é uma notícia triste para todos na Espanha."
 
Dani Pedrosa: "Meus pêsames a toda a família e amigos. Ela foi pioneira em muitos aspectos e um exemplo de superação para todos. Sempre lembraremos de sua vontade de melhorar constantemente."
 
Laia Sanz: "Estou muito triste e surpresa. É difícil de assimilar que nos deixa uma pessoa jovem e lutadora como ela. Descanse em paz."
 
Alexander Rossi: "Estou absolutamente atordoado e com o coração partido ao ouvir que María de Villota faleceu. Meus pensamentos e orações. Nós nunca vamos te esquecer."

Helio Castroneves: "Estou realmente triste com o falecimento da María. Ela se vai tão jovem, mas deixa para todos nós um exemplo de vida. RIP María."

Martin Whitmarsh: "Nosso progresso na pista neste fim de semana foi colocado em segundo plano por esta tragédia. Toda a comunidade da F1 está muito comovida com a notícia de que María já não está conosco. Ela foi uma inspiração não só para as mulheres deste esporte, como também para todos os que sofreram lesões graves. Sua história, determinação e consequente inspiração fluiu da F1 para o esporte em geral. Ver as imagens dela no grid de Barcelona no começo deste ano, rodeada por uma multidão de crianças entusiasmadas, ilustra essa história. Infelizmente a perdemos, e queremos transmitir nosso mais profundo sentimento à sua família."
 
Eric Boullier: "Estamos profundamente tristes com a notícia da morte de María de Villota hoje cedo. Em nome da equipe aqui no Japão e voltando a Enstone, gostaria de expressar nossas condolências aos amigos, familiares e colegas de María. Nossos pensamentos estão com eles neste momento difícil."

Monisha Kaltenborn: "Estamos abalados ao escutar a notícia da morte de María de Villota e queríamos dar nossas mais sinceras condolências à sua família e amigos por esta trágica perda. Se havia alguém que representava a força e o otimismo, era María. Sua repentina morte é uma grande perda para o mundo do esporte a motor, já que ela era uma embaixadora importante para a passagem de mensagens importantes para os jovens, especialmente às garotas que aspiram uma carreira no automobilismo. María foi um exemplo de alguém que nunca se rendeu, ela sempre tinha um sorriso no rosto. Vamos sentir muito sua falta."
 
Jean Todt: "Hoje é um dia trágico para o esporte a motor. Minhas mais profundas condolências para a família De Villota. María foi uma pilota fantástica, uma estrela-guia para as mulheres no esporte a motor e uma pessoa em incansável campanha por segurança nas corridas. Acima de tudo, foi uma amiga a quem admirei profundamente. Através de sua coragem, força e determinação, transformou sua tragédia pessoal na pista em uma mensagem poderosa por segurança nas corridas, que se escutou nas pistas de competição e mais além, por todo o mundo. Ela era uma pessoa querida na família da FIA. Nossos pensamentos estão com sua família hoje."
 
Mercedes: "Nossas mais profundas condolências à família e amigos de María de Villota após a trágica notícia de sua morte. Sua coragem, determinação e esperança foram exemplo e inspiração para muitos. Ela será, infelizmente, uma perda para nosso esporte."

Marussia: "É com grande tristeza que dizemos que há poucos instantes, recebemos a notícia de que María de Villota deixou este mundo. Nossos pensamentos e orações estão com sua família e seus amigos neste momento tão difícil."