F1

Novo calendário da FIA para temporada 2015 da F1 revela ausência do GP da Coreia do Sul e 20 etapas

Depois da reunião do Conselho Mundial do Esporte a Motor da FIA, realizada no início deste mês, o calendário para a temporada 2015 da F1 foi revisado. Nesta nova versão, o GP da Coreia do Sul foi limado, deixando a temporada com 20 etapas, apesar de o documento falar em 21 corridas. A prova brasileira está marcada para 15 de novembro

Warm Up / Redação GP, de Curitiba
Logo depois da reunião do Conselho Mundial do Esporte a Motor da FIA, realizada neste início deste mês, no Catar, a entidade máxima apresentou o calendário para a temporada 2015 da F1 com a presença do GP da Coreia do Sul, o que deixou o campeonato com 21 etapas. Agora, nos últimos dias de 2014, uma nova versão foi publicada no site da federação. No documento, a prova sul-coreana foi limada para o próximo ano.

No calendário mostrado nos primeiros dias de dezembro, a corrida da Coreia foi colocada no dia 3 de maio, acrescida com um asterisco de "sujeita à confirmação".
A Coreia do Sul foi retirada do calendário da F1 para 2015 (Foto: Force India)
De fato, a presença da prova em Yeongam causou estranheza, até mesmo entre os organizadores da corrida. Dias depois, Bernie Ecclestone afirmou que a inclusão dos coreanos foi feita devido a “questões legais”. Como havia um contrato com os organizadores locais, é preciso reservar uma data mesmo que a corrida não venha a acontecer, de acordo com o inglês.

Apesar da ausência da Coreia do Sul, a data não está totalmente descartada, segundo a imprensa europeia. O documento emitido da FIA ainda fala em 21 etapas para 2015, embora mostre 20. E isso pode provocar uma alteração nas regras do uso de motores.

Entende-se que a prova coreana era apenas uma manobra para ampliar para cinco o número de unidades permitidas por ano na F1. De acordo com os regulamentos  para 2015, cada piloto pode usar apenas quatro motores por temporada, mas desde que o calendário não exceda 20 corridas.

O artigo 28.4 do Regulamento Esportivo da F1 afirma que "os pilotos estão limitados a quatro unidades para a temporada". Mas, em seguida, vem a ressalva: "Este número será aumentado para cinco se o número de eventos do campeonato, como previsto originalmente, for superior a 20".

De qualquer forma, o calendário da maneira que está no momento apresenta 20 etapas, sendo que abertura do campeonato acontece no dia 15 de março, em Melbourne, na Austrália. O GP do Brasil está marcado para 15 de novembro, em Interlagos, enquanto a prova final será disputada novamente em Abu Dhabi, no dia 29 de novembro. Nenhuma prova veio com asterisco. 

Confira o calendário 2015 da F1:

15/3 GP da Austrália Melbourne
29/3 GP da Malásia Kuala Lumpur
12/4 GP da China Xangai
19/4 GP do Bahrein Sakhir
10/5 GP da Espanha Barcelona
24/5 GP de Mônaco Monte Carlo
7/6 GP do Canadá Montreal
21/6 GP da Áustria Spielberg
5/7 GP da Inglaterra Silverstone
19/7 GP da Alemanha Hockenheim
26/7 GP da Hungria Hungaroring
23/8 GP da Bélgica Spa-Francorchamps
6/9 GP da Itália Monza
20/9 GP de Cingapura Cingapura
27/9 GP do Japão Suzuka
11/10 GP da Rússia Sochi
25/10 GP dos Estados Unidos Austin
1/11 GP do México Cidade do México
15/11 GP do Brasil Interlagos
29/11 GP de Abu Dhabi Abu Dhabi
 
DIRETOR DA WILLIAMS DIZ QUE MASSA SUPEROU EXPECTATIVAS EM 2014 

O diretor-técnico Pat Symonds analisou a temporada 2014 de Felipe Massa pela Williams e disse que o brasileiro superou as expectativas em seu primeiro ano no time de Grove. Para o engenheiro inglês, agora o brasileiro se encontra em um ambiente perfeito para ter seu melhor desempenho na F1
 
PARCEIROS EM 2014, RICCIARDO FALA QUE VETTEL SABE COMO 'APROXIMAR PESSOAS'

Após parceira de um ano, Ricciardo cita forma de trabalho “impressionante” de Vettel: “Faz as pessoas trabalharem perto dele”. Companheiros de equipe durante a temporada 2014, Daniel Ricciardo afirmou que a maneira como Sebastian Vettel trabalha é impressionante. Australiano destacou forma como o tetracampeão faz todos trabalharem para ele

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
 
MELHORES DO ANO

E assim, como num passe de mágica, 2014 passou. Foi rápido mesmo. Se Vettel decepcionou, a Mercedes dominou e o medo de acidentes fatais voltou à F1; se a Ganassi não correspondeu e Will Power fez chegar o dia que parecia inalcançável; se Márquez deu mais um passou para construir uma dinastia; se Rubens Barrichello viveu sua redenção, tudo isso é sinal das marcas de 2014 no automobilismo. Para encerrar e reforçar o que aconteceu no ano, a REVISTA WARM UP volta a eleger os melhores do ano.