carregando
F1

Nasr destaca dificuldades para se adaptar com novo traçado do México: “É normal que esteja escorregadio”

A adaptação ao traçado e asfalto do autódromo Hermanos Rodríguez promete ser a grande dificuldade do GP do México. Para Felipe Nasr e sua deficiente Sauber, os problemas foram agravados por não conseguir se adaptar aos compostos dos pneus

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre

Os pilotos da F1 enfrentaram um desafio relativamente incomum nos treinos livres para o GP do México desta sexta-feira (30): a adaptação a um traçado novo e a um asfalto que escorrega mais do que o normal. A situação não foi diferente para Felipe Nasr, que lutou contra as dificuldades de sua Sauber.
 
O C34 de Nasr exigiu um bom esforço da Sauber até ser adaptado às condições diferenciadas do autódromo Hermanos Rodríguez. Segundo o brasileiro, a equipe focou na pouca aderência do novo asfalto mexicano.
Felipe Nasr durante a segunda sessão de treinos no autódromo Hermanos Rodríguez, no México (Foto: Getty Images)
“Hoje era tudo sobre aprender o novo circuito e se acostumar com ele. Como o nível de aderência é baixo, fizemos alguns ajustes no carro pensando em se adaptar às condições de pista. É normal que o asfalto esteja bem escorregadio em circuitos novos”, contou Nasr.
 
Além das dificuldades com asfalto e aderência, Nasr se queixou da adaptação dos pneus às condições do traçado mexicano. Segundo o #12, a Sauber ainda precisa trabalhar bastante para resolver questões com ambos compostos médios e macios.
 
“Eu sofri principalmente com os pneus médios, tentando os fazer funcionar. Estava um pouco melhor no composto macio, mas ainda temos muito trabalho por fazer. Precisamos analisar os dados e então tomar as decisões corretas para o carro”, disse.
 
Nasr foi coadjuvante nos dois treinos livres. Sua melhor marca veio no segundo, que lhe garantiu o 14º melhor tempo na sexta-feira. O piloto mais rápido do dia foi Nico Rosberg, 1s899 mais rápido do que Felipe.