carregando
F1

Na Garagem: Boutsen resiste a pressão de Senna para vencer GP da Hungria

A terceira e última vitória de Thierry Boutsen foi a única delas que veio com a pista seca. Foi no travado circuito de Hungaroring, e com muita concentração para evitar erros contra a pressão de Ayrton Senna

Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
Dá para dizer que a classificação para o GP da Hungria em 1990 foi um tanto atípica. Os dois que brigavam pelo título não estavam na primeira fila, e assim pintou um favorito para a corrida no travado circuito de Hungaroring: o belga Thierry Boutsen.
 
No dia 12 de agosto, o piloto da Williams-Renault largou na pole-position pela única vez em sua carreira. Ao seu lado estava o colega de time, Riccardo Patrese. Ayrton Senna veio só em quarto, ao lado de Gerhard Berger, enquanto Alain Prost se classificou na distante oitava posição.
 
Para o brasileiro, apesar dos pesares, era uma boa chance para abrir para o seu grande rival — a tabela indicava 48 a 44 ao seu favor.
A largada do GP da Hungria de 1990 (Foto: Forix)

Pois bem. Veio a luz verde e ambos perderam duas posições na primeira volta. Na dianteira, Boutsen se manteve na ponta, seguido por Berger e Patrese. A partir dali, o belga passou a fazer o necessário para vencer.
 
Já para Senna, a recuperação foi complicada. Ele demorou 21 voltas para conseguir passar Jean Alesi, mas teve de parar com um furo de pneu logo na sequência e caiu para décimo. O francês abandonaria pouco depois ao se enroscar com Pierluigi Martini. Prost, com o câmbio quebrado, foi outro a abandonar.
 
Senna ganhou mais posições com pit-stops de pilotos que iam a sua frente, como Nelson Piquet, Berger e Patrese, e também conseguiu aproveitar junto de Alessandro Nannini para chegar ao terceiro lugar. Passou pelo italiano a 15 voltas do fim e foi buscar Boutsen.
Boutsen à frente de Senna na corrida (Foto: Forix)
Essa diferença rapidamente sumiu, e Senna pressionou bastante o piloto do carro azul e amarelo. Boutsen, contudo, manteve a calma e não deixou uma brecha sequer para que o futuro campeão de 1990 o ultrapassasse: venceu com 0s288 de vantagem na bandeirada. Piquet completou o pódio.
 
Ainda assim, o resultado não foi nada ruim para Senna, que abriu dez pontos no campeonato — a vitória valia nove.
 
Boutsen, que seria trocado por Mansell na Williams no final do ano, nunca mais foi ao pódio na F1. Ele se aposentou em 1993 após duas temporadas com a Ligier e uma com a Jordan.
PADDOCK GP #41 ABORDA F1, MOTOGP, OLIMPÍADA E MORTE DE CLAUSON