F1

Mercedes quebra recorde de McLaren e Ferrari com 16ª vitória na temporada 2014 do Mundial de F1

A Mercedes venceu pela 16ª vez na temporada 2014 do Mundial de F1 e superou a McLaren de 1988 e a Ferrari de 2002 e 2004, estabelecendo um novo recorde na história da categoria

Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
A F1 nunca viu uma equipe vencer tanto em uma única temporada como a Mercedes em 2014. A vitória de Lewis Hamilton em Abu Dhabi neste domingo (23) foi a 16ª da equipe alemã no campeonato deste ano. A marca superou os históricos recordes da McLaren de 1988 e da Ferrari de 2002 e de 2004.

Nas 19 corridas do campeonato, a Mercedes só foi batida três vezes: no Canadá, na Hungria e na Bélgica, Daniel Ricciardo venceu pilotando para a Red Bull-Renault.
Toto Wolff comemora com Hamilton no pódio. Mercedes fez história (Foto: AP)
“Eu não sou uma pessoa que gosta de estatísticas. No fundo, o que eu amo no automobilismo é que o cronômetro nunca vence. Mas vencer 16 corridas é algo muito especial”, declarou o diretor-esportivo Toto Wolff.

O grande segredo do sucesso foi o excelente motor V6 turbo desenvolvido na fábrica de Brixworth, no Reino Unido. O trabalho, iniciado em 2010, resultou no desenvolvimento da melhor unidade de força desta nova era do Mundial de F1, de incentivo às tecnologias híbridas.

Mas não dá para deixar de lado também o papel do chassi do F1 W05 Hybrid, que é de primeira-classe. O carro apresentou excelente downforce e se portou bem em todos os circuitos, de Mônaco a Monza, fosse com chuva ou fosse com sol.

O único ponto negativo foram os problemas de confiabilidade que custaram caro a Hamilton na Austrália, no Canadá, na Alemanha e na Hungria, ao passo que Rosberg ficou pelo caminho na Inglaterra, em Cingapura e nesta corrida decisiva em Abu Dhabi.

O asterisco que pode ser colocado ao lado do recorde é o número de corridas: em 1988, Ayrton Senna e Alain Prost venceram 15 de 16 corridas com a McLaren; em 2002, Michael Schumacher e Barrichello ganharam 15 de 17 e, em 2004, 15 de 18.

Outra marca expressiva conquistada diz respeito às pole-positions: pela primeira vez desde 1969 uma fabricante de motores anotou todas as poles. Além das 18 da equipe de fábrica, Felipe Massa, com a Williams-Mercedes, largou na frente no GP da Áustria.

Além disso, a equipe Mercedes sozinha marcou mais pontos que todas as equipes que usam motores Renault (Red Bull, Toro Rosso, Lotus e Caterham) e Ferrari (Ferrari, Marussia e Sauber) juntas.
BICAMPEÃO

A esperança de Nico Rosberg não durou mais de 50 metros ou 3 segundos. Sua horrível largada no GP de Abu Dhabi deste domingo (23) deu de bandeja — sem bebida alcoólica — a liderança para Lewis Hamilton. Se em nenhum momento o alemão esboçava qualquer reação, o carro passou a apresentar um problema no ERS. Já era.

A falha de Rosberg significaria nas condições normais dizer que Hamilton conquistou seu segundo título com mais uma vitória tranquila. Mas Felipe Massa estava empolgado como há tempos não se via. Com uma Williams andando no ritmo da Mercedes, tentou caçar a vitória depois de liderar a prova. Faltou pouco. Ao menos, Massa conquistou seu melhor resultado desde o GP do Japão de 2012 e o terceiro pódio na temporada.


Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
MELHOR SENSAÇÃO NO MELHOR DIA DA VIDA

Lewis Hamilton não conteve a lágrimas em Abu Dhabi. Na entrevista conduzida pelo ex-piloto Martin Brundle, Lewis agradeceu aos fãs e disse que vive o melhor dia de sua vida. “Uma coisa que quero dizer é um muito obrigado a todos os fãs que vieram até aqui, todas as bandeiras, bonés, fizeram a diferença. Todos os meus amigos, meus pais, minha mãe está em casa. Não consigo explicar. Sinto ainda mais que o primeiro. Parece que foi a primeira vez”, disse o recém-coroado campeão.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
É SÓ O COMEÇO PARA 2015

O ano do renascimento da Williams terminou como a equipe poderia imaginar em alguns de seus pensamentos mais otimistas. O primeiro pódio duplo do time de Grove desde 2005, com Felipe Massa em segundo e Valtteri Bottas logo atrás. Além de um grande ano para a Williams, a segunda metade de 2014 foi também de recuperação de Massa. E o GP de Abu Dhabi finalizou o ano em alta.

"A prova foi fantástica para nós. Eu não esperava ter esse ritmo, especialmente com os mesmos pneus. Lewis estava um pouco rápido demais. Foi perto, um bom começo para o ano que vem", disse.


Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.