carregando
F1

McLaren traz MCL35 com mais azul, pintura fosca e bico fino

Depois de ganhar terreno em 2019 e alcançar o quarto lugar no Mundial de Construtores, a McLaren tenta ao menos seguir como a melhor equipe ‘do resto’ do grid da F1. Essa é a missão do MCL35, revelado nesta quinta-feira (13)

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Berlim

A McLaren, grata surpresa na temporada 2019 da Fórmula 1, já tem carro para escrever um novo capítulo da história em 2020. A equipe apresentou o MCL35 nesta quinta-feira (13), carro que chega com a missão de guiar a turma de Woking rumo a um novo quarto lugar no Mundial de Construtores, tentando novamente superar as demais equipes médias.

Quando o assunto é pintura, há mudanças óbvias. A lateral do MCL35 ganha mais detalhes em azul, incluindo a tampa das entradas laterais de ar. O mesmo vale para a região da entrada de ar superior, sobre a cabeça do piloto. Os triângulos e hexágonos, presentes em 2019, sumiram. O carro agora tem cores foscas também, seguindo o mesmo rumo da Red Bull nos últimos tempos.

Em termos de aerodinâmica, destaca-se o bico do carro, mais fino. É uma solução que também remete à adotada pela equipe dos energéticos, mas de forma um pouco mais extrema.
A McLaren ganhou nova pintura (Foto: McLaren)
"Hoje é um grande dia para todos nós", disse Carlos Sainz Jr. "Segui de perto a construção do MCL35 neste inverno, e sei o tamanho do esforço e paixão que colocamos. Muitos podem considerar 2020 como apenas um buraco entre o velho e o novo regulamento, uma mera continuação de 2021. No entanto, na McLaren, nós apertamos o reset depois da bandeira quadriculada em Abu Dhabi e trabalhamos muito duro para melhorar cada detalhe do nosso carro", seguiu.
 
"O pulo que demos no ano passado foi motivador, mas ao mesmo tempo, um aviso do quão apertada a luta continuará no pelotão intermediário. Não podemos sentar em 2020 se quisermos nos aproximar do topo. A ambição é melhorar e o time dar mais um passo nesta temporada, e estou ansioso para os testes de Barcelona e continuar o momento positivo que começamos no ano passado", destacou o espanhol, dono do único pódio da equipe nos últimos cinco anos.

"Eu me sinto muito bem", continuou Lando Norris. "Neste ponto, ano passado, fui alertado para não dizer a palavra que vou dizer, mas estava me mijando neste mesmo ponto. Agora estou mais confiante, relaxado, e me sinto melhor preparado para minha segunda temporada", apontou.

A chefia seguiu a mesma linha dos pilotos, apostando no otimismo e na continuidade do bom momento estabelecido em 2019. "Estamos só começando nossa trajetória rumo ao pelotão dianteiro. Muito do crédito vai para nossos pilotos. É um bom ambiente, também com uma boa equipe. O Andreas [Seidl] merece crédito por isso, não consigo pensar em alguém melhor para conduzir uma equipe de F1. São momentos empolgantes na McLaren", comentou Zak Brown, chefe de equipe.
 
"Não podemos nos deixar levar. Esse ano é um reset, nós e todo mundo no pit-lane vamos voltar ao zero. Todos estão trabalhando pesado. Estou feliz com o que vi do desenvolvimento do carro durante o inverno. Podemos ter algum otimismo, mas também com algum realismo", completou Seidl.
McLaren MCL35 (Foto: McLaren)
A McLaren tem em 2020 um objetivo simples: manter o terreno recuperado no Mundial de Construtores, onde em 2019 apareceu em quarto lugar. Ou seja, ser a melhor das equipes medianas. Alguns otimistas já chegaram a sugerir que seria possível ameaçar o top-3, mas a equipe segue com pés no chão e pensa que brigas por vitória ainda são algo distante.
 
Nesse sentido, a continuidade parece ser a chave do sucesso em Woking. A reestruturação promovida por Zak Brown, que teve como grande destaque a chegada do experiente Andreas Seidl para chefiar a equipe técnica, tem potencial para render ainda mais frutos.
 
O mesmo pode ser dito da dupla de pilotos: mais experientes e melhor entrosados, Carlos Sainz Jr. e Lando Norris ainda vão merecer a atenção e o cuidado dos adversários diretos. Sainz encontrou em Woking um lugar para se sentir confortável, talvez algo inédito na carreira na F1, e Norris promete dar um novo salto, agora que não é mais apenas um mero estreante no grid.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.