F1

Magnussen admite que foi “difícil de engolir” rebaixamento na McLaren, mas adverte: “Ainda é uma grande chance”

Agora reserva da McLaren, Kevin Magnussen admitiu que foi difícil engolir o rebaixamento na equipe de Woking. Piloto, entretanto, ressaltou que ainda tem uma grande chance na F1

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Kevin Magnussen foi preterido pela McLaren e caiu de titular a reserva do time de Woking na temporada 2015 da F1. Depois de assistir a equipe chefiada por Éric Boullier anunciar Fernando Alonso e Jenson Button para o próximo ano, o jovem piloto reconheceu que foi “difícil de engolir” o rebaixamento.
 
Ainda assim, Magnussen espera que o posto de piloto de testes na próxima temporada o ajude a voltar ao grid do Mundial em 2016.
Magnussen foi batido por Button e será reserva da McLaren em 2015 (Foto: McLaren)
“Antes de mais nada, estou com este time, tenho um trabalho aqui”, começou Kevin. “Eu gostaria de correr em alguma coisa, mas nada está certo ainda e nós vamos ver. Provavelmente, vai levar algumas semanas até que possamos realmente olhar para isso”, explicou.
 
“Foi difícil de engolir. Quando você chega na F1, você espera muitas coisas. Eu acredito em mim e acredito que posso fazer grandes coisas”, comentou. “Como Ron [Dennis] disse, é uma pausa e isso não é uma coisa legal, mas ainda acredito que tenho um futuro na F1 e isso é tudo que eu tenho agora”, ponderou.
 
“Acredito em mim, acredito na McLaren e acho que quando eu voltar para a F1, espero voltar como um piloto mais maduro e mais experiente”, ressaltou.
 
Mesmo decepcionado com o rebaixamento, Magnussen avaliou que ainda tem uma grande oportunidade na F1.
 
“Significa muito. Obviamente, estou desapontado por não correr. Sou um piloto, quero correr, então claro que estou desapontado, mas ainda estou com um grande time e ainda tenho grandes oportunidades na minha carreira na F1”, considerou. “Sou jovem, tenho muito tempo pela frente, então ainda estou positivo. É empolgante iniciar essa nova parceria, apesar de ser como terceiro piloto. Ainda é uma grande chance e uma grande oportunidade, então eu vejo muitas oportunidades adiante apesar de ser um passo atrás”, concluiu.
DUELO ENTRE HAMILTON E ROSBERG F1 2014 ANO DA MONOTONIA

O segundo capítulo da RETROSPECTIVA 2014 do GRANDE PRÊMIO trata da disputa interna dos dois pilotos da Mercedes. Dá para dizer que o Mundial viu uma boa batalha pelo título entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg. Não chega a ser uma das maiores da história, mas certamente foi boa o bastante para agradar quem a acompanhou.