F1

Leclerc impressiona na Ferrari, mas precisa superar momento de velho Verstappen

Não dá para negar que Charles Leclerc é um sujeito muito talentoso e já demonstra isso em seu primeiro ano de Ferrari, porém, o monegasco precisa erguer a cabeça nos momentos erráticos, situação parecida com a que Max Verstappen atravessou recentemente

Grande Prêmio / GABRIEL CARVALHO, de Campinas
Era bem claro que Charles Leclerc pilotaria pela Ferrari em algum estágio de sua vida. O monegasco chamou atenção desde as categorias de base e fez um impressionante primeiro ano pela Sauber. O que surpreendeu foi a antecipação por parte da equipe de Maranello, que sacou o veterano Kimi Räikkönen, em sua melhor temporada desde que retornou ao time, para colocar o inexperiente, porém talentoso Leclerc, o piloto mais jovem a sentar no cockpit ferrarista desde Ricardo Rodriguez, nos primórdios da Fórmula 1.
 
A realidade é que Leclerc mostrou a que veio em 2019. Ele segurou muito bem a bucha, aprendeu a não ser intimidado logo de cara e mostrou todo o seu potencial no início do campeonato, com destaque para a injusta derrota que teve no Bahrein. O problema são as eternas estratégias ruins do time de Maranello, que fizeram ele perder pontos, pódios e chances de brigar com a Mercedes.
Charles Leclerc (Foto: AFP)
No mar de bobagens que a Ferrari lhe proporciona, Leclerc teve diversos momentos positivos e definitivamente é um dos grandes nomes da temporada, mas cometeu diversos erros que impediram um status maior em 2019. Em Baku, era um dos favoritos a vencer, mas viu as chances cortadas ao atingir o muro na classificação. Na Áustria, tinha uma vitória praticamente tranquila em mãos, mas não soube se defender do ataque de Max Verstappen. Em Hockenheim, desperdiçou uma chance de pódio e até de vitória ao ficar na curva 16, e quase teve o fim de semana completamente comprometido na Hungria, quando bateu ainda no Q1, mas evitou danos maiores.
 
O misto de talento, arrojo e erro lembra justamente Max Verstappen, o seu principal rival na temporada. As disputas de ambos chamaram muita atenção até aqui, e Leclerc lembra os primeiros anos de Verstappen na Red Bull. Apesar da habilidade, o holandês era bastante errático e sofreu com as críticas sobre o seu potencial, mas evoluiu absurdamente e hoje é um dos nomes mais maduros do grid.
 
A mídia italiana não perdoa e as críticas só não vieram fortes ainda pelo ano medíocre de Sebastian Vettel, que ainda é o protagonista da Ferrari. De qualquer forma, o futuro de Leclerc na Fórmula 1 é brilhante, e um ponto muito importante é passar por esta fase de aprendizado de cabeça erguida.
 
Com o tempo, a tendência é que Leclerc amadureça do mesmo jeito que Verstappen amadureceu. Pode demorar mais um tempo para que a evolução o deixe em um status acima. A participação de Vettel no time é importante para blindar Charles. Ele vai errar, mas o importante é aprender com os erros e evoluir, sem deixar que a pressão por vitórias e títulos atrapalhe.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.