carregando
F1

Lawrence Stroll define meta para Aston Martin na F1: virar equipe de ponta

A atual Racing Point não pode mais se esconder no pelotão intermediário da Fórmula 1. Já com dias contados antes de se transformar em Aston Martin, no começo de 2021, a escuderia traça objetivos ousados e planeja virar protagonista

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
A atual Racing Point, já com dias contados antes de se transformar em Aston Martin na temporada 2021, carrega o retrospecto de uma escuderia que quase sempre esteve no pelotão intermediário da Fórmula 1, desde os anos 1990 com a Jordan. Só que agora isso vai ter de mudar: de acordo com o chefe de equipe Otmar Szafnauer, o dono Lawrence Stroll já visitou a fábrica de Silverstone para avisar aos funcionários que, como equipe de fábrica, o objetivo é brigar no pelotão dianteiro.
 
“A equipe vem competindo há 30 anos com diversos nomes e está mais do que pronta para virar equipe de fábrica”, disse Szafnauer. “O Lawrence [Stroll] já falou com os funcionários semana passada e deixou claro o objetivo de estabelecer a Aston Martin como uma das equipes de ponta do esporte. É empolgante fazer a transição para equipe de fábrica e temos praticamente um ano inteiro para fazer essas mudanças, com a maioria delas acontecendo nos bastidores”, seguiu.
 
A transição para Aston Martin acelera um processo que já era esperado na Racing Point. A equipe que mesmo com pouco dinheiro disponível nos dias de Force India ainda era a quarta melhor do grid, sempre pareceu capaz de dar um novo passo com uma conta corrente mais recheada. A presença da montadora britânica, entretanto, traz a necessidade de acelerar o processo.
A Aston Martin, hoje Racing Point, terá objetivos grandioso na F1 (Foto: Reprodução)
Isso tudo, todavia, é assunto para o futuro. Por enquanto, com a apresentação do carro de 2020 cada vez mais próxima, Szafnauer cuida para não se descuidar da nova temporada.
 
“Não há impacto imediato na nossa campanha atual [2020]. Vamos seguir competindo como Racing Point até a mudança de nome no começo da temporada 2021”, encerrou.
 
A Racing Point segue com Sergio Pérez e Lance Stroll como piloto em 2020. A equipe quer evoluir após terminar 2019 em sétimo, mirando já o quarto lugar no Mundial de Construtores.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.