carregando
F1

Kart utilizado por Senna na disputa do Mundial de Kart em 1981 é vendido por R$ 180 mil em leilão

O kart DAP com o qual Ayrton Senna competiu no Mundial de Kart de 1981, em Parma, foi leiloado nesta semana por € 57.500,00 (o equivalente a R$ 180 mil)

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
O kart DAP usado por Ayrton Senna na disputa do Mundial de Kart em 1981 — sua última corrida profissional de kart antes de se dedicar exclusivamente aos fórmulas — foi leiloado nesta semana por uma empresa britânica e arrematado por uma quantia equivalente a R$ 180 mil.
 
Em 1981, o Mundial aconteceu em Parma, na Itália, e desde então este kart foi usado por “no máximo” duas horas, de acordo com a página do site da empresa que promoveu o leilão. Ele estava sem motor, mas um idêntico foi colocado para ser entregue ao novo dono.
Ayrton Senna no Mundial de Kart em 1981 (Foto: Bonhams/Reprodução)
Não ter vencido o Mundial de Kart foi uma das grandes frustrações da carreira do tricampeão da F1. Depois de perder o torneio enquanto ainda era kartista, tornou a disputá-lo em 1981 para tentar o título, mas novamente falhou.
 
Para os mais supersticiosos, não há problema. Jamais um campeão do Mundial de Kart foi campeão na F1, e os únicos que foram capazes de vencer corridas na categoria máxima do automobilismo foram Riccardo Patrese (seis vezes) e Jarno Trulli (uma).

OS 10+ DA PRIMEIRA SEMANA

Por quatro dias, oito equipes marcaram presença no circuito de Jerez, na Espanha, para os primeiros testes da pré-temporada. Naturalmente, a curiosidade para se acompanhar as atividades na pista andaluz era grande, e também há diversos pontos a se destacar após essa primeira bateria de treinos coletivos. A liderança da Ferrari, o dia em que o brasileiro Felipe Nasr foi o mais rápido, os problemas da McLaren e a pintura da Red Bull foram alguns dos aspectos que chamaram a atenção. 

Leia a matéria completa no GRANDE PRÊMIO.
O SOM AO REDOR

Tempos mais baixos, menos problemas e mais barulho. Dá para resumir assim, do ponto de vista dos motores V6 turbo, a semana de testes da F1 em Jerez de la Frontera, abrindo a pré-temporada de 2015. Introduzidas em 2014, essas unidades de força que atrelam sistemas híbridos ao motor de combustão interna vêm recebendo muitas críticas desde o princípio desta nova era.
 
Há cabos eleitorais fortes que pedem a mudança do regulamento — a alternativa mais defendida neste momento é a adoção de propulsores com 1000 cavalos de potência. Mas é incontestável como, com o passar do tempo, nota-se uma evolução.

Leia a matéria especial do CONTA-GIRO desta semana no GRANDE PRÊMIO. 
FORA DE NOVO

O momento da Force India não é bom. Após perder a primeira bateria de testes em Jerez, o time indiano está fora da segunda sessão de treinos coletivos, que acontece em Barcelona e corre o risco de perder a terceira também. A confirmação veio nesta sexta-feira (6) por meio do chefe-adjunto do time Bob Fernley à BBC, que citou a falência de Marussia e Caterham e a demora para assinar contrato para ter o túnel de vento da Toyota como principais fatores para o atraso na produção do VJM08.
 
Fernley garantiu que não há a menor possibilidade do VJM08 estar pronto para a segunda bateria de testes, agora em Barcelona, mas explicou que a intenção do time é ter o novo carro pronto para a última sessão de testes. 

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.