F1

Invicta em Suzuka na era híbrida, Mercedes espera desafio e luta apertada contra Ferrari

Desde 2014, a Mercedes jamais foi batida em Suzuka, marcou todas as poles e venceu todas as corridas neste período. Mas, para o fim de semana que se avizinha, a equipe prateada espera um grande desafio por conta da ascensão da Ferrari nesta reta final da temporada 2019

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A Mercedes desconhece outro resultado que não seja o sucesso em Suzuka desde o início da era híbrida de motores da F1, em 2014. De lá para cá, foram cinco vitórias (quatro conquistadas por Lewis Hamilton e uma por Nico Rosberg) e outras cinco poles (três por Rosberg e duas por Hamilton). Entretanto, no fim de semana em que pode selar a conquista do hexacampeonato do Mundial de Construtores, a escuderia prateada tem um grande desafio para manter a invencibilidade no lendário circuito japonês: conter a ascensão da Ferrari, grande força da segunda parte da temporada 2019 da F1.
 
É fato que a Mercedes ainda celebra a improvável dobradinha conquistada há quase duas semanas, na Rússia, quando Hamilton triunfou em Sóchi e Valtteri Bottas terminou em segundo na esteira de um dia que parecia destinado a uma vitória da Ferrari. Toto Wolff entende que o triunfo na Rússia não apaga a força da equipe italiana nesta reta final do campeonato e, seguindo a tendência, vê a rival muito forte também neste próximo fim de semana de GP do Japão.
Toto Wolff espera uma batalha apertada contra a Ferrari em Suzuka (Foto: Mercedes)
“Conseguir uma dobradinha em Sóchi depois de três corridas sem vitória foi uma sensação incrível. Fizemos uma corrida sólida na Rússia, aproveitamos ao máximo as nossas oportunidades e Lewis e Valtteri pilotaram sem erros. Somamos 44 pontos, aumentamos a vantagem nos dois campeonatos e estamos muito motivados para seguir com o pé no acelerador para o restante das corridas”, declarou o dirigente austríaco.
 
“De qualquer forma, a vitória em Sóchi não muda o fato de que a Ferrari teve um melhor começo de segunda parte da temporada em relação a nós. Vamos levar pequenas atualizações ao carro no Japão, e tomara que elas nos ajudem a dar um passo no rumo certo. De toda maneira, sabemos que precisamos tirar 100% do nosso carro e dos pneus se quisermos lutar pela vitória”, complementou.
 
Wolff ressaltou a série invicta da Mercedes no Japão desde 2014, mas entende que manter os 100% de aproveitamento vai ser muito difícil em razão da forma recente da Ferrari.
 
“A próxima corrida nos leva ao icônico circuito de Suzuka, com sua empolgante sequência de curvas e com seus fãs muito apaixonados. Temos um recorde sólido nesta pista, já que vencemos todos os GPs do Japão na era híbrida, mas espero que este ano seja um desafio por conta da força dos nossos rivais”, salientou.
 
“Vai ser uma luta muito apertada, estamos ansiosos. Nossos objetivos para o último quarto da temporada estão claros e depende de nós garantir que vamos conseguir”, complementou Wolff, que pode comemorar o hexacampeonato do Mundial de Construtores já neste fim de semana. A Mercedes vai conquistar o título se somar 15 pontos a mais do que a Ferrari em Suzuka.
Paddockast #36
O MELHOR PILOTO SEM VITÓRIA NA F1


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.