carregando
F1

Hamilton minimiza discussão com Mercedes, diz que tática não foi correta, mas ressalta: “Tínhamos de tentar”

Lewis Hamilton, apesar de dominar o ano, encerrou 2015 no estresse após ter negado o pedido de mudar a estratégia que a Mercedes havia traçado para tentar atacar Nico Rosberg e vencer. Hamilton ficou nervoso, não conseguiu chegar sequer perto de Rosberg e os desdobramentos ficam para as férias

Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
Lewis Hamilton vai sair nervoso e de cabeça quente de Abu Dhabi, mas não demonstrou nada disso no pódio após cruzar em segundo novamente na corrida árabe.

A última corrida do ano colocou fogo na Mercedes após o campeão mundial ter negada a vontade de sair da estratégia para atacar Nico Rosberg e tentar vencer. E um ano que dominou completamente termina estressante como seria impossível de imaginar um mês e meio atrás.
 
Talvez desta vez Lewis não aparente o nervosismo da Espanha, mas agora será mais difícil criticá-lo por reclamações que possam vir. Hamilton queria sair da asa do que a Mercedes havia programado. Viu uma chance de atacar Rosberg, então perto de 11s à sua frente se colocasse pneus supermacios para as 15 voltas finais, mas a equipe negou. Lewis colocou os macios e tentou atacar, mas a tentativa não foi longe.
Lewis Hamilton GP de Abu Dhabi (Foto: Getty Images)
Hamilton, entretanto, iniciou seu discurso falando sobre o campeonato em si e o título, o terceiro de sua carreira na F1. "Em primeiro lugar, tenho de dizer que foi um ano incrível. Estou realmente muito feliz. E contente que finalmente acabou", disse o inglês a David Coulthard, que conduziu as entrevistas ainda no pódio.

Sobre a estratégia, Lewis procurou minimizar e disse apenas que a estratégia não foi a mais correta.  "Uma vez que Nico foi aos boxes, eu consegui tirar a diferença e tirei o máximo o máximo dos pneus. Os pneus ainda estavam muito bons no final. Por isso, sinceramente, senti que poderia ter ido até o fim. Mas ter ficado muito tempo na pista, provavelmente não foi o melhor a se fazer, mas nós tínhamos de tentar."

Hamilton ainda explicou melhor toda a discussão com relação à estratégia. "Eu tentei o máximo que pude no primeiro stint. Eu tentei fechar a lacuna para o Nico, cuidando dos pneus, mas os dois pneus da frente se desgastaram muito rapidamente e ele foi capaz de escapar", afirmou o britânico.
 
"No segundo stint, eu estava mais rápido e tirei a diferença, estava realmente muito perto. Fizemos os pneus durarem muito mais, mas depois disso a escolha era da equipe sobre mudar para os supermacios ou não. Não tenho certeza qual dos dois era o melhor, mas os pneus macios estavam realmente muito bons para mim", completou.
 
O tricampeão admitiu em seguida não saber se poderia ter seguido até o fim da corrida com os compostos mais duros. "não tenho certeza se poderia ir até o fim. Uma parte de mim gostaria muito."
 
"A configuração do motor mudou muito durante a corrida. Não tenho certeza da razão, mas isso terei de perguntar à equipe", finalizou.

De qualquer forma, Hamilton fecha o ano de forma brilhante, com o terceiro título no bolso e dez vitórias
 

Foi este acidente que impediu a realização da corrida final da GP2 em Abu DhabiCurta o GRANDE PRÊMIO no Facebook: https://www.facebook.com/sitegp

Posted by Grande Prêmio on Domingo, 29 de novembro de 2015
PADDOCK GP EDIÇÃO #8: ASSISTA JÁ