carregando
F1

Hamilton fala em “momento especial” por superar Senna, mas lastima vencer em cima de abandono de Rosberg

Lewis Hamilton chegou a uma marca histórica neste domingo (11) na Rússia. Graças ao triunfo no Parque Olímpico de Sóchi, o britânico chegou a 42 vitórias e superou seu maior ídolo no esporte, Ayrton Senna. Por outro lado, o bicampeão lamentou por ganhar sem precisar lutar com Nico Rosberg

Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Além de estar na melhor fase da vida e da carreira, Lewis Hamilton tem, definitivamente, sorte de campeão. Ou melhor, virtual tricampeão. O britânico não precisou sequer lutar com Nico Rosberg no GP da Rússia, disputado neste domingo (11). O alemão enfrentou problemas no acelerador do seu Mercedes e abandonou a corrida, deixando de bandeja a vitória nas mãos de Hamilton. O britânico lamentou por ter vencido sem uma grande batalha com seu companheiro de equipe.

Eddie Jordan, entrevistador oficial do pódio do GP da Rússia, disse que gostaria de ter visto uma bela luta entre Hamilton e Rosberg. O vencedor da corrida deste domingo concordou. “Eu também [queria ver uma briga boa pela vitória]”.
No melhor estilo bon-vivant, Hamilton comemora a vitória no GP da Rússia (Foto: Twitter/Lewis Hamilton)
Por outro lado, Lewis vibrou por superar em número de vitórias seu maior ídolo no esporte, Ayrton Senna. Com o triunfo logrado no Parque Olímpico de Sóchi, Hamilton agora tem 42 vitórias, contra 41 do brasileiro tricampeão do mundo.

A conquista de Hamilton na Rússia o colocou muito próximo de comemorar o tricampeonato, possibilitando uma nova igualdade com Ayrton.

“Fiquei animado pensando que a gente teria uma corrida. É uma pena que a equipe tenha perdido um dos carros. Quando vi o Sebastian atrás, pensei ‘queria que estivesse perto para a gente dar um show para os fãs’”, declarou o britânico.

“É um momento especial para mim passar o Ayrton. estou muito orgulhoso de estar aqui. Foi uma ótima passagem pela Rússia. Um país lindo, se você nunca veio, deveria vir”, disse o piloto, exaltando o país comandado pelo presidente Vladimir Putin, presente nas tribunas ao lado de Bernie Ecclestone para ver a corrida.

Por fim, Lewis creditou seu sucesso à Mercedes. “Eu não poderia ter feito isso sem essa equipe incrível. Como disse no rádio, tenho muito orgulho por fazer parte desse time”, concluiu o piloto, cada vez mais perto do tri.

Para ser campeão do mundo na próxima etapa da temporada, o GP dos Estados Unidos, daqui a duas semanas, Hamilton precisará somar três pontos a mais em relação a Rosberg e nove sobre Sebastian Vettel.