carregando
F1

Futuro diretor-executivo da McLaren, Capito avisa que só assume função quando Volkswagen garantir título do WRC

Jost Capito, anunciado em janeiro como futuro diretor-executivo da McLaren, ainda terá de seguir por algum tempo na Volkswagen, onde é chefe de equipe no Mundial de Rali. O dirigente alemão disse que ainda não encontrou um sucessor à altura e avisou que só deixará a função no WRC depois que assegurar o título desta temporada

Warm Up / Redação GP, de Sumaré

Anunciado em janeiro pela McLaren como novo diretor-executivo da equipe multicampeã de F1, Jost Capito ainda não assumiu sua função. Mas o alemão garante: “Nada mudou”. Contudo, o dirigente avisou que só vai começar a trabalhar em Woking depois que encontrar um sucessor para seu posto de chefe de equipe da Volkswagen no Mundial de Rali. Além disso, Capito só pretende sair do time alemão quando garantir o título da temporada 2016.
 
“Vou quando tiver um sucessor e quando o Mundial estiver encaminhado. O campeonato está em boas condições agora, mas talvez no Rali da Alemanha poderemos estar numa posição em que seja improvável perdermos [o título], e a esta altura já deveremos ter um substituto”, declarou Capito em entrevista à revista britânica ‘Autosport’.
A McLaren ainda terá de esperar um pouco mais por Jost Capito (Foto: Volkswagen)
A etapa da Alemanha será a nona da temporada 2016 do Mundial de Rali. A prova está marcada para os dias 19 a 21 de agosto. No momento, a Volkswagen lidera o Mundial dos Construtores com 178 pontos, 70 a mais que a Hyundai. A marca sul-coreana triunfou no Rali da Itália, disputado no último fim de semana na Sardenha, com o belga Thierry Neuville.
 
O dirigente, contudo, entende que a definição está próxima. “O sucessor está próximo, mas não posso dizer que será alguém do esporte ou da Volkswagen”, continuou.
 
Um dos desafios que Capito ainda tem como chefe da Volkswagen está no regulamento para 2017. Assim como na F1, o Mundial de Rali também terá grandes mudanças em suas normas técnicas para o ano que vem.
 

“Temos o programa aprovado, revisamos a estrutura, está tudo em ordem. Meu sucessor vai ter sucesso se continuar neste caminho e seguir com as vitórias. Mas vai ser uma situação diferente no ano que vem”, comentou.
 
“Vai chegar a Toyota, a Citroën volta depois de um ano, vai ser completamente diferente. A Citroën voltará depois de se desenvolver por um ano, e seria um milagre se eles não forem melhores que antes. A competição vai ser mais apertada em 2017”, previu o ainda chefe da Volkswagen antes de assumir definitivamente sua função na McLaren.
PADDOCK GP #33 ANALISA GP DO CANADÁ E FAZ PRÉVIA DO GP DA EUROPA