F1

Fraco desempenho e pressão: os detalhes da substituição de Gasly na Red Bull

Chefão da Red Bull, Christian Horner deu mais detalhes sobre a decisão da equipe em trocar Pierre Gasly por Alex Albon. O dirigente afirmou que a cúpula energética não acreditava mais que o francês seria capaz de ajudar a equipe no Mundial de Construtores contra a Ferrari

GRANDE PRÊMIO / Redação GP, de Curitiba
A Red Bull deu detalhes dos motivos que a levaram a promover uma mudança em sua dupla de pilotos para o restante da temporada. A equipe austríaca sentiu que Pierre Gasly não seria mais capaz de ajudar Max Verstappen na disputa contra a Ferrari no Mundial de Construtores e, por isso, optou pela alteração. O pouco desempenho, especialmente nas duas últimas corridas antes da pausa das férias da F1, acabou também por selar o destino do jovem francês, de acordo com o chefe da esquadra dos energéticos, Christian Horner.
 
A opção pela troca aconteceu poucos dias depois do GP da Hungria, quando o time anunciou que o estreante Alex Albon passaria a dividir as garagens com Verstappen nas etapas finais desta temporada. A realidade é que Gasly encerrou a primeira parte de temporada com um déficit de 118 pontos com relação ao colega holandês, que, inclusive, foi capaz de vencer duas vezes. Pierre, na verdade, teve apenas um grande resultado nesta primeira metade de campeonato: a quarta colocação no GP da Inglaterra.
 
Questionado sobre o que levou a Red Bull a mudar de ideia sobre deixar Gasly completar a temporada, Horner respondeu: "Acho que depois da Hungria foi frustrante. A semana anterior já havia sido decepcionante e, quando você olha para a tabela de pontos, parece que contra a Ferrari, nós temos um carro capaz de lutar por pontos no Mundial de Construtores, mas não estávamos conseguindo capitalizar isso."
Pierre Gasly e Christian Horner (Foto: AFP)
"Sentimos que a pressão estava inevitavelmente aumentando sobre Pierre, também ajudada por vocês da mídia. E a Red Bull está em uma posição única com quatro cockpits, então somos capazes de promover essas mudanças", completou.
 
"Na verdade, entendemos que, para Pierre continuar seu desenvolvimento, o melhor seria um ambiente de menos pressão como a Toro Rosso", acrescentou o dirigente inglês.
 
Horner ainda revelou que a Red Bull até considerou promover Daniil Kvyat, mas acredita que Albon seja uma opção melhor a longo prazo. "Consideramos Daniil, claro, ele está fazendo um ótimo trabalho com a Toro Rosso."
 
"Mas também achamos que tirá-lo da Toro Rosso seria um prejuízo para a equipe, uma vez que ele é o mais experiente por lá. Ele já está no programa há algum tempo, já guiou pela Red Bull, e nós estávamos mais interessados em dar uma olhada em Albon, ele foi bem nas primeiras 12 corridas", explicou.
 
"Vimos esse talento emergente de Alex nas primeiras etapas e temos informações disponíveis sobre esses pilotos, então achamos que é hora de avaliá-lo, para uma tomar uma decisão sobre 2020."
 
Por fim, o chefe da Red Bull disse que espera que Gasly entenda os motivos da equipe. "Acho que ele sabia que o foco, a atenção e a pressão estariam continuamente sobre ele. Infelizmente, em algumas corridas, ele esteve atrás de seu companheiro de equipe e não dá para permitir isso por muito tempo", concluiu.

A classificação do GP da Bélgica está marcado para a manhã deste sábado (1), às 10h (horário de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL.


 
Paddockast #31
QUEM NA F1 PASSA DE ANO?


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.