carregando
F1

Force India insiste que política de igualdade segue, mas fala em rever regras para garantir “melhor resultado possível”

A Force India insistiu que sua política de igualdade de condições segue intacta, mas reconheceu que pode agir de forma diferente se um no episódio como do GP do Canadá voltar a acontecer no futuro

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

A Force India admitiu que talvez seja necessário alterar as regras sobre ordens de equipe na relação seus dois pilotos, após a controvérsia vivida pelo time indiano nos estágios finais do GP do Canadá, disputado neste domingo (12). 
 
Nas últimas voltas da corrida canadense, Sergio Pérez e Esteban Ocon estavam perseguindo Daniel Ricciardo e lutando pela terceira colocação, quando a esquadra iniciou uma discussão sobre uma possível troca de posições entre o mexicano e o francês. Isso porque o Ocon estava mais rápido e com pneus mais novos que o companheiro. Só que Pérez não aceitou - mesmo com a promessa de inversão dos postos se não houve a ultrapassagem sobre o australiano -, dizendo que tinha condições de superar o piloto da Red Bull. E a esquadra também não insistiu.
 
A decisão acabou colocando ambos em uma situação vulnerabilidade com relação a Sebastian Vettel. O alemão da Ferrari vinha voando pela pista com pneus muito mais novos e não encontrou dificuldades para ultrapassar os dois carros cor de rosa, assumindo a quarta posição.
Bob Fernley diz que Force India pode agir diferente em novo episódio como o do Canadá (Foto: Force India)

Por isso, o chefe-adjunto da Force India, Bob Fernley, se disse ciente de que havia uma chance de pódio, mas afirmou também que a insistência em uma ordem de equipe não seria certo. No entanto, o dirigente reconheceu que a equipe tirou lições importantes do episódio e que pode se comportar de forma diferente no futuro.
 
"Há aspectos positivos e negativos com o que aconteceu", afirmou Fernley em declaração ao site 'Motorsport'. "E o que aconteceu apenas destaca um problema que temos - o que, na verdade, é mais um elogio - que é ter dois pilotos incrivelmente rápidos", completou.
 
"Então, talvez, tenhamos de rever as nossas posições em como vemos as coisas no futuro. É um problema bom de ter e não devemos tirar isso deles, porque também tivemos um resultado muito bom para o time", acrescentou o chefe.
 
Fernley também não se disse frustrado ao ser questionado sobre a chance de pódio. "Não, não estou realmente frustrado. Acho que é só uma maneira de ver as coisas. Não devemos nos recriminar pelo que aconteceu. E do ponto de vista dos fãs, você simplesmente não pode tomar dois caminhos. A nossa política é deixá-los correr e foi o que fizemos."
 
Dono da Force India, Vijay Mallya também se posicionou sobre o episódio nas redes sociais. "Bom trabalho, pessoal. Estou orgulhoso de todos. A nossa política de não lançar mão de ordens de equipe continua, mas eu vou especificar algumas diretrizes para que possamos também alcançar o melhor resultado possível para a equipe", concluiu.
 
A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA