carregando
F1

FIA absolve Hamilton e Rosberg e define como incidente de corrida toque na primeira volta em Barcelona

Sem punições, tampouco reprimendas. Após análise feita pelos comissários de prova durante todo o GP da Espanha, a FIA optou por absolver Lewis Hamilton e Nico Rosberg pelo incidente ocorrido entre eles na curva 4 na primeira volta do GP da Espanha, neste domingo (15), em Barcelona

Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba

A impressionante vitória de Max Verstappen no GP da Espanha, neste domingo (15), também foi possível devido à confusão criada pelos dois pilotos da Mercedes ainda na largada. Ambos bateram na curva 3 e abandonaram. Logo após a prova, Nico Rosberg e Lewis Hamilton foram chamados pela direção de prova para dar explicações sobre o toque e, depois da análise das imagens e dos comentários dos dois pilotos, os comissários decidiram não aplicar qualquer sanção, definindo o lance como um incidente de corrida apenas.

Depois de deixar a sala dos comissários, Hamilton afirmou aos jornalistas que o carro de Rosberg vinha uma configuração errada do mapeamento motor, que é uma regulagem que se faz antes da corrida, e que ele acabou se aproximando rápido demais do colega, daí o toque entre eles. Lewis deixou claro ainda que o lance foi "completamente diferente" do que aconteceu em Spa-Francorchamps, em 2014, e que não estava chateado com o rival. Na corrida da Bélgica, no auge da disputa pelo título naquele ano, Rosberg bateu de propósito no britânico.
Emblemático: as duas Mercedes sendo rebocadas após o acidente em Barcelona (Foto: Getty Images)

Saindo da primeira fila, com Hamilton à frente, o alemão conseguiu tomar a ponta e assumiu a liderança na entrada da curva 1. Mas o tricampeão não se deu por vencido e forçou para tentar retomar o comando da prova na curva 4. Porém, após o alemão 'fechar a porta', Lewis foi para a grama e perdeu o controle do seu carro, rodou e acabou acertando Rosberg. Resultado: os dois pilotos da Mercedes ficaram na caixa de brita e abandonaram a corrida.

Aos repórteres em Barcelona, Hamilton esclareceu o acidente. "Tive uma boa largada, mas ele me passou na Curva 1. Entrando na Curva 3, ele teve uma desaceleração, basicamente porque ele cometeu um erro e largou com a configuração errada de motor. Antes da corrida, nós tivemos de escolher a regulagem do motor e há apenas uma, de potência máxima, e ele não escolheu essa. Então ele desacelerou a um ponto, e isso se traduziu numa perda de 180 cv”, declarou.
 
“Então, eu estava chegando nele e, quando me aproximei, ele não estava na trajetória, mas então ele levou o carro um pouco para a direita e o espaço na esquerda era muito menor que na direita, então eu fui pela direita. Como piloto, quando você está 17 km/h mais rápido, você vai onde tem espaço. Mas aí pegou a roda e a asa, não tive como evitar a colisão”, jusficicou o tricampeão.

Rosberg também falou à imprensa depois da reunião com a Mercedes e os comissários. O líder do campeonato também não escondeu a frustração pelo acidente com Hamilton e negou que tenha deixado de regular corretamente o mapeamento do motor por distração. "Não, não estava distraído", disse.
 
"Estava ciente da situação e vi quando Lewis chegou muito perto. Por isso, eu me coloquei na trajetória habitual para fechar a porta. Eu fiz isso claramente, eu não ia deixar espaço ali por dentro e fiquei surpreso que ele se colocou ali também", explicou o alemão, um pouco contrariado com a decisão da FIA.
 
"Os comissários decidiram que foi um incidente de corrida e agora é aceitar ou aceitar. No geral, estou apenas frustrado. Era uma corrida para vencer", completou Rosberg, que evitou culpar Hamilton pelo incidente.
 
"Não disse que ele é culpado. Só estou falando sobre a decisão dos comissários em dizer que foi um incidente de corrida. A regulagem definitivamente estava em uma configuração errada, eu não tinha potência e agora precisamos ver como isso aconteceu", acrescentou, deixando claro que a relação com Hamilton segue a mesma.
Lewis Hamilton e Nico Rosberg (Foto: Reprodução)
Por fim, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, decidiu colocar panos quentes e acatou a decisão tomada pelos comissários. “Na saída da Curva 3, Lewis tinha mais velocidade, Nico estava mais lento. Nico fechou a porta com uma manobra que parecia ser limpa. Lewis escolheu ir por esse lado, passou pela grama e perdeu o carro. Foi isso."
 
"Foi uma corrida muito infeliz, desencadeada por várias circunstâncias, e muito difícil julgar. Nico estava com a configuração errada [do motor] e foi por isso que ele perdeu potência na saída da Curva 3. Ele não teve tanta energia quanto Lewis. Isso explica porque tudo aconteceu tão rápido. Havia uma discrepância na velocidade, de modo que eles precisavam tomar uma decisão em uma fração de segundo, e aí Lewis acabou batendo em Nico", encerrou o dirigente.
O QUE ESTÁ POR TRÁS DO RECENTE NOTICIÁRIO SOBRE SCHUMACHER