carregando
F1

Ecclestone fala em consciência tranquila com prova em Baku e assusta: “Alguém sabe o que são direitos humanos?”

Bernie Ecclestone afirmou que tem a consciência 100% tranquila por levar a F1 ao Azerbaijão. Em meio a denúncias de violação, dirigente máximo do Mundial questionou: “Alguém sabe o que são os direitos humanos?”

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Bernie Ecclestone não se deixou abalar pelas críticas em relação à chegada da F1 ao Azerbaijão. O dirigente máximo do Mundial garante que tem a consciência limpa em relação à prova de Baku.
 
No início do mês, uma coalizão internacional se reuniu com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para denunciar uma “afronta aos direitos humanos”. O Azerbaijão tem várias acusações de violações graves, como cerceamento da imprensa e aprisionamento de opositores do governo.
Bernie Ecclestone elogiou trabalho feito com a pista de Baku (Foto: Getty Images)
Fiel à sua política de ignorar questões como as levantadas por órgãos como a Anistia Internacional, Bernie minimizou a situação.
 

Questionado se tinha a consciência tranquila por realizar uma corrida no Azerbaijão, Ecclestone respondeu: “Absolutamente. 100%”.
 
“No minuto em que alguém me disser o que são direitos humanos, podemos olhar para como, por que e quando se aplica”, declarou. “Alguém sabe o que são os direitos humanos?”, indagou.
 
Informado da prisão de jornalistas críticos ao governo, Bernie rebateu: “Então eles deveriam... mas isso depende do que eles escrevem”.
 
Perguntado, então, sobre a posição dos times, Ecclestone avaliou que eles também não devem saber o que são os direitos humanos.
 
“Acho que, provavelmente assim como eu, eles gostariam de saber o que são os direitos humanos. Muitas pessoas passam fome no mundo e eles têm algo do que reclamar”, disse. “Nós ouvimos, obviamente, e se as pessoas têm uma queixa genuína, não tem muito que possamos fazer”, continuou.
 
“Eu não sei. Liberdade de expressão e coisas assim — acho que você se mete em encrenca na maioria dos países se é uma pessoa anti-governo ou política. Ou, de fato, qualquer um. Então não é assim tão fácil”, ponderou.
 
Ainda, Bernie afirmou que se a F1 evitasse países onde há registros de corrupção, não sobrariam muitos lugares para correr.
 
“Eu digo o que deveríamos fazer: no que nos diz respeito, não ter corridas em países onde há corrupção. Então onde nós vamos correr?”, afirmou.
 
Por fim, Ecclestone elogiou o trabalho dos organizadores do GP da Europa e destacou que a pista é melhor do que o esperado.
 
“Quando coloquei isso na primeira vez, me disseram que eu era louco. Tentando unir a cidade antiga e a nova, mas parece que funcionou bem”, observou. “Conversei com Nico [Rosberg] esta manhã e disse a ele que vai ser um circuito para macho. Ao contrário do que as pessoas imaginaram quando olharam os planos”, observou.
 
“Nós acabamos de sair do melhor lugar do mundo na América do Norte e, em comparação com a aqui, é uma merda”, concluiu.

Que tal participar do Fantasy F1 e concorrer a prêmios? Inscreva-se no 'Fantasy F1 Grand Prix of Europe 2016'.

Funciona assim: forme uma equipe com um orçamento de 115 milhões de euros. Seus pilotos marcarão pontos com base nos resultados das corridas (pontos de corrida) e na diferença entre a posição final e a posição da qualificação (pontos de bônus).

Ficou interessado? Vem e entre nesta com a gente.
 
PADDOCK GP #33 ANALISA GP DO CANADÁ E FAZ PRÉVIA DO GP DA EUROPA