carregando
F1

Diretor da McLaren vê F1 mais livre e próxima dos fãs com chegada do Liberty Media e saída de Ecclestone

Diretor-executivo da McLaren, Zak Brown deu as boas-vindas à Liberty Media, demonstrou confiança no trabalho dos novos donos da F1 e disse que esperava ver um Mundial mais livre e amigável com os fãs nos próximos anos

Warm Up / Redação GP, de Leipzig
 

O Liberty Media deu o passo definitivo para abrir uma nova era na F1. Na noite desta segunda-feira (23), o grupo norte-americano, que adquiriu a maior das categorias do automobilismo, também anunciou a saída de Bernie Ecclestone do comando do Mundial. O dirigente inglês estava à frente do esporte há quase 40 anos e foi um dos principais pilares para a popularização e sucesso financeiro do negócio chamado F1. Por isso, o desligamento do britânico ganhou imediata repercussão entre os chefes das equipes e um dos primeiros a se manifestar foi Zak Brown, executivo também americano, que agora chefia a McLaren, no lugar de outro ícone da categoria, Ron Dennis.
 
Brown entende que o esporte precisava de uma renovação e demonstrou grande confiança no trabalho dos novos proprietários do espetáculo. “A chave está nas palavras liberdade e mídia”, afirmou o dirigente em entrevista à revista inglesa 'Autosport'. 
 
"Na próxima década, espero ver uma F1 mais livre e amigável com os fãs. Como tal, espero ver também uma nova geração de aficionados, vindos por conta de um trabalho com as mídias digitais e redes sociais. A participação dos fãs é onde está o sucesso e está claro que pessoal do Liberty Media sabe bem como fazer isso", completou.
Bernie Ecclestone foi substituído por Chase Carey no comando da F1 (Foto: Reprodução)

"O que fez Bernie é muito difícil de seguir, mas ele criou um trampolim fantástico para Carey [Chase, o novo chefão da F1], porque terá totais condições de tornar a F1 maior e melhor”, acrescentou Zak, dizendo ainda que os novos donos têm todo o apoio da McLaren na empreitada. 
 
"Nós, da McLaren, já estamos ansiosos para ajudar e trabalhar junto a eles."
 
Por fim, Brown lembrou as realizações de Ecclestone. "A F1 não seria uma potência esportiva internacional sem a enorme e verdadeira contribuição feita por Bernie Ecclestone nas últimas décadas. De fato, não consigo pensar em ninguém que tenha dito o tipo de influência que ele teve em outro esporte global", afirmou.
 
"Hoje é dia que temos de prestar uma homenagem ao trabalho notável e empreender deste visionário chamado Bernie Ecclestone. E eu só tenho a lhe agradecer", encerrou o executivo americano.
OS CAMPEÕES DO DAKAR: LEANDRO TORRES E LOURIVAL ROLDAN CONTAM TUDO SOBRE A CONQUISTA HISTÓRICA