carregando
F1

Dennis diz que performance do motor Honda é “bem impressionante” e cita confiabilidade como “maior desafio”

Diretor-executivo da McLaren, Ron Dennis afirmou que a performance do motor V6 turbo da Honda é bem impressionante, mas não quis dar detalhes sobre o novo propulsor. Dirigente destacou, entretanto, que a confiabilidade será o maior desafio para 2015

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Embora o teste realizado em Abu Dhabi tenha passado longe de ser um sucesso, Ron Dennis se disse impressionado com o novo motor V6 turbo da Honda, mas reconheceu que a confiabilidade é o principal desafio a ser superado pela fábrica nipônica.
 
Depois de duas décadas de separação, Honda e McLaren reiniciam em 2015 uma vitoriosa parceria, com a marca japonesa voltando ao cenário da F1 para competir com os propulsores produzidos por Mercedes, Ferrari e Renault.
Ron Dennis se mostrou confiante em relação ao motor produzido pela Honda (Foto: Getty Images)
Antes de voltar definitivamente ao esporte, a Honda passou dois anos trabalhando no V6 turbo, mas o primeiro teste coletivo foi marcado por vários problemas. Ainda assim, o CEO da McLaren se mostrou confiante no trabalho da Honda.
 
“O desafio para a nossa parceira Honda está em atingir datas e confiabilidade”, disse Dennis ao site da ESPN. “A performance é bem impressionante, mas, claro, não posso dividir isso com você” continuou.
 
Além disso, Dennis também elogiou o empenho da Honda e seus funcionários na produção do novo motor.
 
“Você vê o comprometimento, a perspicácia desse grupo de engenheiros e as instalações”, citou. “Por exemplo, eles têm uma instalação de controle de trabalho bem impressionante — nós temos uma aqui onde a nossa equipe técnica e reserva senta, assiste e participa de cada aspecto da corrida onde quer que esteja acontecendo —, mas, claro, no Japão, o fuso horário é significativo na maioria das corridas”, seguiu.
 
“Então, ao redor do controle de trabalho, eles têm instalações para 50 pessoas dormirem e um restaurante para apoiá-los especificamente, então eles podem ficar lá e estarem prontos para quando a corrida estiver acontecendo — este é o tipo de detalhe e comprometimento que é muito mais indicativo de para onde estamos indo do que ter 30 dos melhores e mais recentes dinamômetros”, completou.
 
Chefe da divisão de esporte a motor da Honda, Yasuhisa Arai também manifestou sua confiança no trabalho feito pela fábrica japonesa.
 
“A nova regulamentação é muito, muito complexa”, lembrou Arai. “Em Abu Dhabi, nós fizemos um teste e coletamos muitos dados. Tenho muita confiança de que a nossa parceria vai vencer no próximo ano em Melbourne e iniciar uma nova era”, declarou.
EM ANO DE MÁRQUEZ, MOTOGP FOGE DA MONOTONIA COM RENASCIMENTO DE ROSSI

Depois de surpreender o mundo do esporte com uma estreia espetacular, Marc Márquez voltou mais forte em 2014 e estendeu seu domínio na MotoGP. Mesmo com renascimento de Valentino Rossi e recuperação de Jorge Lorenzo, o piloto da Honda venceu as dez primeiras provas do ano — 13 no total —, mas não tornou o Mundial monótono.

Leia a RETROSPECTIVA MOTOGP 2014 no GRANDE PRÊMIO.
EM ANO DE DOMÍNIO DA PENSKE, POWER ENFIM GARANTE TÍTULO DA INDY 

A temporada 2014 da Indy teve emoção até o fim. Em ano dominado pela Penske, Simon Pagenaud foi o único a se meter na disputa entre os companheiros de equipe e brigou pelo caneco até a prova final em Fontana. Will Power foi o grande campeão, deixando Helio Castroneves com o vice pela quarta vez na carreira.

Leia a RETROSPECTIVA INDY 2014 no GRANDE PRÊMIO.
ENFIM, O ANO DA CONSAGRAÇÃO

A REVISTA WARM UP acompanhou de perto e traz todos os detalhes de como Rubens Barrichello viveu o fim de semana que voltou a lhe proporcionar o grito de ‘é campeão’: os erros e os acertos, o peso e o alívio, o filho que pergunta e antevê o título. "Já se sente campeão?", disse, na manhã da corrida decisiva. E o pai que sorri

Leia a reportagem completa na REVISTA WARM UP