carregando
F1

Contrato de Alonso com McLaren-Honda é “maior da história da F1” em valores, assegura jornal espanhol

O espanhol, que não consegue um título desde 2006, conseguiu um acordo “multianual” com a equipe inglesa. O salário deve passar da gigantesca marca de R$ 100 milhões por ano.

Warm Up, de Interlagos / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
Quando um dos maiores pilotos em atividade na F1 decide sair de uma das equipes mais tradicionais, podemos esperar que cifras altíssimas estarão envolvidas na negociação. É o que acontece com Fernando Alonso, prestes a abandonar a Ferrari para se aventurar na McLaren. Seu acordo com a equipe inglesa é tido como "um dos maiores da história da F1”, segundo o jornal espanhol AS.
 
Prestes a ser anunciado, o contrato entre Alonso e McLaren deve ser “multianual”: dois anos com a opção de renovar para um terceiro. O salário deve ser de aproximadamente £ 25 milhões (equivalente a R$ 101 milhões) – maior que o pago pela Ferrari.
 
O acordo não era o que Alonso desejava. O espanhol teria pensado em um contrato de apenas um ano para negociar com a Mercedes em 2016. A McLaren, todavia, recusou.
Fernando Alonso atende fã em Interlagos (Foto: Silvia Izquierdo/AP)
A contratação representa os esforços da McLaren, junto à Honda, de voltar às vitórias. A escuderia de Ron Dennis não vence uma corrida desde o GP do Brasil de 2012, com Jenson Button. O último pódio foi no GP da Austrália desse ano.
 
Alonso deve se transformar no grande nome do retorno da Honda à F1. É a segunda passagem pela equipe, após um conturbado ano em 2007. Fala-se que o espanhol formará dupla com Kevin Magnussen, enquanto Jenson Button será demitido. Como o salário da nova estrela será muito alto, a escolha pelo barato e jovem danês para compor dupla representa uma economia em Woking.
 
Na Ferrari, se espera que Sebastian Vettel substitua Alonso e forme dupla com Kimi Räikkönen.
 
Alonso, aos 33 anos, passa por uma fase crucial da carreira. Não vence corridas desde o GP da Espanha de 2013, nem conquista títulos desde 2006. Nesses últimos oito anos, apenas três vice-campeonatos.
 
Em outubro, o GRANDE PRÊMIO, por meio do jornalista Américo Teixeira Jr., cravou em outubro o acordo entre Alonso e McLaren, fruto da rescisão do contrato com a Ferrari.

FUTUROS RIVAIS, MAS SEMPRE AMIGOS
Em entrevista aos jornalistas em Interlagos, incluindo o GRANDE PRÊMIO, Christian Horner disse que entendeu decisão de Vettel e que a hora é agora para mudar. “Acho que é a hora certa para Seb e a equipe. Mas eu entendi, não fiquei exatamente triste. A Ferrari fez uma grande proposta. E é o momento certo para a sua carreira", disse Horner. Leia a reportagem no GRANDE PRÊMIO.
Após ano 'bem complicado com F-E', Senna vê plano com endurance e como comentarista
O CARA
Daniel Ricciardo brincou com a chegada de Daniil Kvyat à Red Bull e disse que espera que o russo não seja tão bom como ele, mas pregou que é necessário trabalhar em conjunto para alcançar a Mercedes. "Eu estou pronto para ser o “cara velho" do time. Sinto que o que eu aprendi neste ano e nos últimos anos na F1 vai ajudar. Não acho que Daniil vai ter dificuldades, acho que vai se adaptar rapidamente. Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.