carregando
F1

Chefe da Mercedes evita apontar culpados em lambança entre Hamilton e Rosberg, mas fala em situação “muito difícil”

Chefe da Mercedes, Toto Wolff classificou o incidente entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg em Barcelona como uma situação “muito difícil” para o time. Dirigente, no entanto, evitou apontar culpados e prometeu se reunir mais uma vez com os pilotos para avaliar as imagens

Warm Up / JULIANA TESSER, de São Paulo
Não demorou para que Lewis Hamilton e Nico Rosberg tivessem de encarar a fúria da Mercedes após a lambança na primeira volta da corrida deste domingo (15). Na saída da curva 3 de Montmeló, o germânico – já líder, depois de uma bela partida – tentou espremer o rival. O britânico, mesmo assim, tentou vir por fora, veio para a grama e perdeu o carro.
 
O que se viu depois foi uma Mercedes descontrolada acertando em cheio a outra. Com os dois carros destruídos na caixa de brita, o safety-car foi acionado.
Mercedes não quis apontar culpados para lambança entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg (Foto: Reprodução)
Sem muita demora, os dois pilotos entraram em uma reunião com a cúpula da Mercedes e, pouco depois, Toto Wolff, chefe do time, apareceu diante da imprensa para classificar a situação como “muito difícil”.
 
“Nós conversamos com os dois pilotos, não foi uma manobra limpa. É uma situação muito difícil para o time, já que perdemos 43 pontos”, afirmou. “Você não pode culpar um deles pelo acidente”, comentou. 
 
“Os dois estão chateados. Depois vamos conversar de novo para olhar as imagens, a telemetria, e evitar que isso se repita no futuro”, avisou.
 
Ainda, Wolff minimizou o fato de Niki Lauda, presidente não executivo da Mercedes, ter optado por apontar Hamilton como culpado.
 
“Niki tem, da sua perspectiva de piloto, uma opinião e um instinto, mas quando você olha todos os dados e conversa com os pilotos, isso talvez seja diferente”, concluiu.
O QUE ESTÁ POR TRÁS DO RECENTE NOTICIÁRIO SOBRE SCHUMACHER