F1

Chefe da Mercedes elogia, diz que Verstappen lembra Senna, mas faz ressalva: “É brilhante, mas perigoso”

Toto Wolff não escondeu sua admiração pela jovialidade de Max Verstappen e disse que o talento do holandês remete a grandes nomes do passado e do presente, como Ayrton Senna e Lewis Hamilton. Contudo, o chefe da Mercedes alertou para a postura agressiva do piloto da Red Bull nas últimas corridas e acabou sendo rebatido pelo comandante taurino

Warm Up / Redação GP, de Sumaré

Em que pese todo o protagonismo da Mercedes na temporada 2016, o fato é que, nas últimas corridas, só se fala dele: Max Verstappen. No GP da Hungria, em julho, o holandês foi duramente criticado por Kimi Räikkönen, Sebastian Vettel e outros tantos pilotos do grid em razão da sua postura agressiva no duelo contra o ‘Homem de Gelo’. Duelo este que se repetiu no último domingo (28) em Spa-Francorchamps, gerando muitas reclamações da dupla da Ferrari.
 
Mas o talento do holandês segue sendo cantado em verso e prosa na F1. Toto Wolff, chefe da Mercedes, se rendeu à boa forma de Verstappen e rasgou elogios ao jovem piloto da Red Bull, afirmando que ele remete a grandes nomes que fizeram história no Mundial. Contudo, o chefe da Mercedes fez suas ressalvas, sobretudo no que diz respeito à agressividade do jovem de 18 anos.
 
“Para mim, ele é brilhante. É um menino que eu gosto muito”, afirmou o dirigente austríaco em entrevista à revista britânica ‘Autosport’. 
Wolff diz que Verstappen lembra Senna, mas alertou para postura agressiva do holandês nas pistas (Foto: Getty Images)
“Ele vem aqui sem medo, sem respeito. Ele lembra os grandes, como Lewis [Hamilton], como Ayrton Senna. Você pode ver que alguns começam a pensar duas vezes sobre como ultrapassá-lo. Até agora, tudo o que ele demonstrou está no rumo certo”, elogiou.
 
Wolff falou também a respeito da sua postura na pista em Spa-Francorchamps e afirmou que o piloto entrou na mira dos seus oponentes. “A FIA não o puniu, a única coisa que aconteceu é que ele tem enfrentado dificuldades nos briefings dos pilotos. Talvez na próxima vez seja ainda mais difícil”, previu o chefe da Mercedes, que também aproveitou para criticá-lo em razão da sua agressividade..
 

“Temo que ele possa acabar no muro um dia. Ele é brilhante, mas perigoso”, alertou o dirigente.
 
A fala de Wolff logo ecoou no paddock do palco do GP da Bélgica e foi rebatida prontamente por Christian Horner, comandante da Red Bull e chefe de Verstappen. “Me surpreende que Toto comente algo que não tem nada a ver com ele”, disparou o britânico.
PADDOCK GP #43 DEBATE INDY E MOTOGP E FAZ PRÉVIA DA F1