carregando
F1

Chefe da Mercedes celebra contratação de Ocon pela Force India: “É positivo para a F1 que talento vença o dinheiro”

Esteban Ocon foi o escolhido pela Force India para ser o substituto de Nico Hülkenberg em 2017 e animou o chefe da Mercedes, Toto Wolff. Para o austríaco, se trata de uma vitória do talento na luta contra o dinheiro de outros pilotos que estavam na briga pela vaga, como Felipe Nasr e Marcus Ericsson

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro

Talento vence dinheiro. Foi assim que Toto Wolff, diretor-executivo da Mercedes, tratou a contratação de um de seus pupilos, Esteban Ocon, por parte da Force India para formar dupla com Sergio Pérez na temporada 2017 do Mundial de F1. E, sim, isso ressoa também em Felipe Nasr, que estava na disputa da vaga.
 
Wolff lembrou que Ocon tem um currículo impressionante nas categorias de jovens - o francês é campeão da F3 Euro e da GP3 - e afirmou que se trata de alguém muito bom para se ter na equipe do ponto de vista do trato pessoal. Fora isso, elogiou a Force India pelo tato com pilotos jovens.
 
"Esteban tem o currículo mais impressionante em categorias-satélite de monopostos e é uma personalidade excepcional fora do carro. A Force India tem um histórico forte de trabalhar com pilotos jovens e mostrar de novo a coragem e visão para levar Esteban sob suas asas", disse.
 
Wolff, então, celebrou a contratação de Ocon por conta do significado: que talento importa mais. A vaga deixada por Nico Hülkenberg estava sendo disputada por alguns pilotos, como Nasr e seu companheiro de Sauber, Marcus Ericsson, que estavam levando dinheiro para a equipe.
O chefão da Mercedes, Toto Wolff (Foto: Mercedes)
"Ainda mais do que isso, é um mostra positiva para a F1 de que o talento vence dinheiro. Nós vamos ver alguns dos mais impressionantes pilotos jovens lutando para chegar ao topo da F1 nos próximos anos", seguiu.
 
Apesar da declaração romantizada de Wolff, Ocon também representa benefícios financeiros para a Force India, visto que é um piloto da Mercedes e é a montadora alemã que fornece as unidades de força para o time anglo-indiano.