carregando
F1

Chefe da Ferrari segura palavrões, se irrita com Räikkönen e deixa aviso: “Não é bom perder pódio”

A rodada de Kimi Räikkönen no GP do Canadá foi determinante para que a Ferrari deixasse de figurar no pódio pela primeira vez em 2015. Maurizio Arrivabene não gostou nada de ver seu piloto cometer o erro que proporcionou o terceiro lugar de Valtteri Bottas: “Não há desculpas, é um pódio jogado fora”. O finlandês se defendeu e culpou uma mudança no mapa de torque da Ferrari

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
O fim de semana do GP do Canadá terminou de forma um tanto frustrante para a Ferrari. Não por Sebastian Vettel, que fez bela corrida de recuperação após ter largado em 18º — enfrentou problemas no ERS no treino classificatório — e terminou em quinto lugar. Mas pela perda de um terceiro posto que parecia certo com Kimi Räikkönen. O finlandês, que estava atrás apenas de Lewis Hamilton e Nico Rosberg, rodou no hairpin pouco depois de ter feito seu pit-stop e foi superado por Valtteri Bottas, da Williams. Pela primeira vez em 2015 a Ferrari ficou de fora do pódio, o que provocou a ira de Maurizio Arrivabene, chefe da escuderia de Maranello, insatisfeito com o erro do piloto finlandês.

Quando perguntado pelo diário italiano ‘La Gazzetta dello Sport’ sobre o fim de semana no Circuito Gilles Villeneuve, Arrivabene foi direto. “Minha sensação? Deveria dizer uns palavrões, mas este não é o caso. Não há desculpas, este é um pódio jogado fora. Esperávamos progredir”, bradou o dirigente italiano.

“Sebastian fez uma grande corrida, devo dizer, mas isso não basta porque queremos alcançar a Mercedes, temos de ir para a frente. Os pódios podem parecer chatos, mas ficar de fora do pódio é pior. Isso não é bom”, emendou Arrivabene, que foi muito elogiado pelo próprio Kimi no mês passado.
Kimi Räikkönen rodou durante o GP do Canadá e perdeu a terceira posição (Foto AP)
Räikkönen disse que um problema no mapa do torque da sua SF15-T acabou causando a rodada no hairpin, que o fez perder 12s e o pódio para o compatriota Bottas. “Obviamente, isso é algo diferente do que vem acontecendo durante o ano, basicamente, do contrário não teria rodado. Não teve nada a ver com os pneus. Foi algo que tem a ver com os pit-stops, mapas, algo do tipo. É algo que nós saberemos agora, e provavelmente deveria ser mais esperto a respeito disso e ter conseguido evitar.”

“Você pisa um pouco no pedal e tem uma enorme diferença no torque, não há nenhuma forma que eu poderia ter controlado mais. É uma coisa tola, mas aconteceu, temos de aprender com isso”, afirmou o nórdico, conformado.

A respeito das atualizações providenciadas pela Ferrari para o fim de semana em Montreal, com mudanças no carro e também melhorias na unidade de força, Räikkönen ficou satisfeito.

“Esperávamos por melhores resultados e melhor velocidade contra eles, mas acho que este circuito reflete a diferença se você está faltando em alguma coisa. Tenho certeza de que a atualização era boa e funcionou como o esperado, mas, obviamente, ainda temos de trabalhar duro e melhorar as coisas no geral. Estou certo de que, quando voltarmos para os circuitos normais, seremos mais fortes e então saberemos onde estão as diferenças”, disse.

“Estávamos esperando por uma disputa um pouco mais próxima e um melhor resultado”, concluiu Räikkönen, que segue em quarto lugar no Mundial de Pilotos, com 72 pontos.