F1

Caterham anuncia que vai a Abu Dhabi para disputar último GP da temporada 2014 no dia 23 de novembro

A Caterham confirmou por meio de sua conta no Twitter que vai disputar o GP de Abu Dhabi de F1 no próximo dia 23 de novembro, na Marina de Yas

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
A Caterham anunciou por meio de sua conta no Twitter que vai disputar o GP de Abu Dhabi, último da temporada 2014 da F1, no próximo dia 23 de novembro.

A equipe ficou de fora dos GPs dos Estados Unidos e do Brasil após uma disputa entre o antigo dono, Tony Fernandes, e os donos do fundo Engavest SA, que adquiriram a escuderia na semana do GP da Inglaterra. Neste período, entrou em processo de administração judicial e deu início a uma vaquinha na internet para arrecadar fundos para viajar aos Emirados Árabes Unidos.

Até o momento do anúncio, pouco após as 12h (de Brasília) desta sexta-feira (14), apenas 79% da meta estabelecida para o crowdfunding fora arrecadada — pouco menos de R$ 7,5 milhões. Mesmo assim, a equipe já empacotava os equipamentos para Abu Dhabi.

De acordo com Finbarr O’Connell, administrador que tem falado em nome da Caterham nos últimos dias, afirmou que só foi possível confirmar a participação na corrida na Marina de Yas por causa do montante arrecadado por meio da vaquinha.

“Em apenas uma semana, os fãs fizeram o impossível possível. Sabíamos que a melhor forma de manter esse time vivo e atrair potenciais compradores era mostrar que essa ainda é uma equipe de corrida e ir para a final em Abu Dhabi, e não há palavras suficientes para dizer como somos gratos a todos os fãs que tornaram isso possível”, afirmou o representante da empresa Smith & Williamson.

O’Connell disse que o objetivo no fim de semana do GP de Abu Dhabi será “assegurar um futuro para a equipe”.

“Durante os últimos dias, o interesse de possíveis novos compradores aumentou imensamente e, correndo em Abu Dhabi, o time vai se mostrar como uma escuderia viva e operante que merece continuar na F1 de 2015 em diante”, comentou. “Tem pessoas que trabalham duro, espírito de equipe, experiência e, agora, só precisa de um futuro seguro, o que tenho esperança de que podemos conquistar.”

Resta a dúvida sobre quem serão os pilotos que competirão com a Caterham. Ao longo da temporada, os titulares foram Kamui Kobayashi e Marcus Ericsson. O sueco, entretanto, anunciou que rompeu seu vínculo com o time de Leafield.

Além destes, André Lotterer também disputou o GP da Bélgica. Como o regulamento da FIA determina que somente quatro pilotos podem defender uma escuderia em um campeonato, resta espaço para só mais um piloto.

Antes da equipe desistir das provas de Austin e de Interlagos, o brasileiro Rubens Barrichello estava acertado para disputar as últimas três corridas do ano, segundo revelou o jornalista inglês Adam Cooper.

Com os equipamentos sendo enviados a Abu Dhabi, a Caterham continua esperando que mais gente faça doações para a vaquinha do time. “Ainda precisamos levantar um pouco mais de dinheiro, então por favor continuem de olho no site ‘Crowdcube’”, disse O’Connell.

Cofundador do ‘Crowdcube’, Luke Lang celebrou o fato de ter ajudado a Caterham. “Estamos muito contentes por ajudar a Caterham a alinhar no grid da última corrida da temporada em Abu Dhabi. É fantástico que tantas pessoas tenham ajudado o time e sua vaquinha para retornar à F1”, falou.

SOU FELIZ, POR ISSO ESTOU AQUI...

Empresário de Felipe Massa, Nicolas Todt garantiu que o brasileiro nunca esteve tão feliz na F1. Após oito anos com a Ferrari, o piloto faz sua primeira temporada com a Williams depois de anos de Ferrari. Falando a publicação francesa ‘Auto Hebdo’, Todt avaliou que a saída da Ferrari no ano passado revitalizou Felipe.

“Sabe, se você tem atenção e é querido, sua vida muda”, avaliou o francês. “Esse nem sempre foi o caso na Ferrari”, comentou Todt.


Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
BOM DIA, GP
Schumacher ganhou título em ano em que todo mundo roubou


"Em 1994, todo mundo roubou", diz Flavio Gomes sobre a temporada que foi marcada pelas mortes de Ratzenberger e Senna, e teve a decisão, em Adelaide, definida num acidente entre o alemão, da Benetton, e Damon Hill, da Williams.

O jornalista fala do primeiro título mundial do alemão em seu comentário em vídeo nesta quinta-feira (13) no 'Bom Dia, GP'.