F1

Brawn vê paralelo entre Leclerc e Schumacher com “história começando a se repetir”

Um dos grandes artífices dos anos de ouro de Michael Schumacher com a Ferrari no início dos anos 2000, Ross Brawn lembrou que foi Charles Leclerc o primeiro piloto a repetir o feito do alemão ao vencer pela escuderia italiana, de forma seguida, os GPs da Bélgica e da Itália. O diretor-esportivo da F1 exaltou também a atitude “astuta” do monegasco no sábado em Monza

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
“Talvez a história esteja começando a se repetir”. É assim que Ross Brawn, hoje diretor-esportivo da F1 e outrora pilar fundamental da Ferrari nos anos de ouro da equipe de Maranello, no início da década de 2000, vê semelhanças entre Charles Leclerc e Michael Schumacher, o maior vencedor e campeão da história do esporte.
 
Na visão de Brawn, Leclerc se comporta como um grande campeão e mostra astúcia para lidar com maturidade vários desafios distintos impostos na F1. Como no último sábado com a controversa classificação do GP da Itália. O monegasco ignorou a determinação da equipe ao não puxar Sebastian Vettel no vácuo, irritando o alemão.
 
No fim das contas, a vitória conquistada de forma magistral no domingo acabou por fazer a Ferrari deixar a polêmica de lado e “perdoar” Leclerc.
Charles Leclerc começa a fazer história pela Ferrari (Foto: Ferrari)
“Leclerc não cedeu e foi ao limite do regulamento, como são e devem ser os grandes campeões. De fato, Leclerc foi muito astuto sobre como lidou com a situação em um Q3 tão bizarro”, escreveu Brawn em coluna publicada no site da F1. “Depois da sua vitória no último domingo, Charles teve um fim de semana incrível”, completou.
 
O britânico recordou o feito de Leclerc ao triunfar seguidamente nos GPs da Bélgica e da Itália, repetindo o que fez Schumacher em 1996, ano de estreia do heptacampeão pela equipe de Maranello, assim como é para Charles nesta temporada. Na opinião de Brawn, é possível que um glorioso período esteja por vir para a equipe italiana.
 
“O que mais me impressiona é a rapidez com a qual aprende tudo o que faz, ele se torna cada vez melhor como piloto e também como homem. O último piloto da Ferrari a vencer em Spa e Monza foi Michael, em 1996. Talvez a história esteja começando a se repetir”, concluiu.
 

Paddockast #32
AS PISTAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.